José Rizzo, da Pollux, com Carlos Beato, da PTC.

A Pollux Digital, uma unidade de negócios focada em projetos de internet industrial da Pollux, vai usar a plataforma de desenvolvimento de aplicações d Internet das Coisas ThingWorx, da PTC.

Em nota, as empresas falam em uma “parceria inédita” no país, pelo meio da qual a Pollux criará aplicações para seus clientes por meio do ThingWorx. 

Não ficou claro o modelo comercial do acordo, mas é provável que o custo do ThingWorx seja embutido ao valor mensal cobrado dos clientes finais da Pollux.

"A ThingWorx é a principal plataforma nativa para desenvolvimento de aplicações IoT e, com a nossa expertise, podemos usá-la para criar soluções específicas para cada cliente", explica José Rizzo, CEO da Pollux, destacando que os projetos podem ser graduais, com os ganhos das primeiras iniciativas pagando as seguintes.

A PTC é uma das empresas de software de design para manufatura que mais tem investido no conceito de Internet das Coisas.

A entrada nesse mercado se deu através da aquisição justamnete da ThingWorx, um investimento de US$ 112 milhões feito ainda em 2013.

A Pollux, uma empresa de automação industrial sediada em Joinville com 20 anos de mercado, tem feito uma aposta grande em torno de temas ligados à chamada Internet Industrial.

O acordo com PTC e o recente lançamento da Pollux Digital, para a qual foi contratado Ricardo Gonçalves, ex-CEO da Neogrid North America, são os últimos movimentos dessa estratégia.

O termo internet industrial diz respeito a um novo tipo de manufatura com um uso pesado de sensores dentro da chamada Internet das Coisas, mas também produção automatizada e análise de grandes volumes de dados na nuvem.

Um exemplo dessa abordagem dentro da Pollux é o V-Pak RT, um produto focado na indústria farmacêutica.

Ele combina equipamentos câmeras e leitores integrados, a área de expertise natural da Pollux, com integrações com os sistemas de gestão dos clientes por meio de software criado pela empresa catarinense.

A Pollux é uma das companhias que está liderando a movimentação pela adoção de novas tecnologias na indústria brasileira, movimento conhecimento internacionalmente como Indústria 4.0.

Rizzo é o presidente da Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII), uma entidade criada junto com a federação de indústrias catarinense e a Embraco, uma fabricante de compressores para refrigeração também sediada em Joinville.

A criação da entidade foi inspirada no consórcio internacional (Consórcio de Internet Industrial - IIC) criado em 2014 nos Estados Unidos pela AT&T, IBM, GE e Intel, no qual a Pollux é uma das duas representantes brasileiras.

A Pollux é sediada no condomínio empresarial Perini Business Park, no Distrito Industrial de Joinville. Além do negócio de automação, a empresa também tem uma linha de negócios focada em robótica.

Em 2015, a empresa estabeleceu a meta de dobrar o faturamento de R$ 50 milhões nos três anos seguintes.