Lúcia Paolini.

A Lenovo reforçou seu departamento jurídico no Brasil com a contratação de Lúcia Paolini para o cargo de diretora legal para o país.

Lúcia esteve no último ano e meio na empresa de refeições GRSA, mas o seu forte mesmo é o setor de tecnologia.

Nos últimos 20 anos, a executiva teve passagem pela liderança do jurídico no Brasil de empresas como Siemens Enterprise Communications, Schneider Electric e Ericsson Telecom.

Em nota, a Lenovo afirma que a profissional será a responsável pelas questões jurídicas e de compliance, além das relações governamentais da companhia no país.

Trocando em miúdos, o papel de Lúcia será assegurar o enquadramento da Lenovo dentro da Lei de Informática e tentar criar as condições para ampliar a presença da companhia nas compras públicas de tecnologia.

Em setembro de 2012, a Lenovo comprou a brasileira CCE por uma quantia inicial de R$ 300 milhões e e novembro do ano passado anunciou um investimento de US$ 100 milhões em um centro de P&D sediado em Campinas.

A compra de uma empresa com fábricas no país e o investimento em pesquisa são requisitos para obter facilidades fiscais da Lei de Informática.

Neste semana, o Tribunal de Contas da União sinalizou que pretende apertar a fiscalização sobre os beneficiados da Lei de Informática, o que deve aumentar a necessidade de atenção às regras de compliance por parte das beneficiadas.

Já o front de compras públicas é um objetivo declarado da Lenovo para aumentar sua participação no mercado educacional, no qual as aquisições do governo tem um grande peso e o player de maior participação é a Positivo.