Netshoes é responsável pela loja virtual da seleção brasileira de futebol. Foto: Rafael Ribeiro/ CBF.

A Netshoes está negociando sua venda para redes estrangeiras. O e-commerce já recebeu propostas do Walmart e da Amazon

O banco americano Morgan Stanley está conduzindo o processo para que a empresa de comércio eletrônico receba mais uma injeção de capital, conforme informações do Valor, que aponta o Walmart como o principal interessado.

Porém, a publicação da Exame mostra que a Amazon também está na jogada. E não é a primeira vez que a companhia demonstra interesse em uma empresa brasileira. Em 2012, estava em negociação com a Livraria Saraiva para ajudar a entrar no mercado brasileiro.

A Netshoes, que registrou um prejuízo de R$ 79 milhões em 2012, não gera caixa mesmo com seus 16 milhões de visitantes mensais. Afinal, ainda é preciso investimento para logística e para manter e aumentar sua participação no mercado. 

O crescimento da companhia ocorreu a partir de aportes de quatro fundos que se tornaram sócios minoritários: Tiger Global Management (EUA), Iconic Ventures (EUA), Temasek Holdings (Singapura) e Kszek (Argentina). 

Estão sendo estudadas diversas alternativas como procurar outros fundos de investimentos, venda das ações majoritárias ou IPO – ideia já exposta em abril do ano passado. 

Ainda não se sabe qual será o caminho escolhido pelos atuais proprietários. 

O interesse do Walmart segue sua estratégia de expansão por meio de sites líderes em seus segmentos no país a fim de conquistar espaço no mercado antes da chegada efetiva da concorrente Amazon. 

No ano passado, a rede americana cogitou comprar o CompraFacil, mas desistiu pois a controladora Hermes estava com R$ 600 milhões em dívidas. 

A operação brasileira online está sendo debatida no Walmart como um investimento autônomo, com faturamento estimado pelo mercado em R$ 1 bilhão, mas que ainda está no prejuízo. O investimento está sendo pensado para gerar resultados em longo prazo. 

"Mesmo que um deles goste da ideia, o Walmart só compraria tudo, não seria uma negociação fácil", informou uma fonte ouvida pelo Valor.

O que tem chamado a atenção das rivais é que a Netshoes vem melhorando seus resultados. O faturamento em 2012 foi de R$ 1,2 bilhão, enquanto em 2008, primeiro ano em que operou apenas na internet, o valor foi de R$ 50 milhões. 

A Netshoes está há 13 anos no mercado e possui 45 mil produtos esportivos em seu portal.

O e-commerce cuida de lojas das seleções Brasileira e Mexicana de futebol e de outros clubes como Corinthians, São Paulo, Palmeiras, Santos, Bahia, Cruzeiro, Coritiba, Vasco, Internacional, Chivas, Pumas, Monterrey, Club América e Cruz Azul.

A empresa é responsável, também, pelas lojas do UFC, da NBA no Brasil, das Havaianas, das Lojas Americanas e da Oakley.