Neogrid decidiu esvaziar os escritórios por uma semana. Foto: Pexels.

A Neogrid decretou uma semana de home office para os seus 700 funcionários no Brasil, começando na segunda-feira, 16, como uma medida de prevenção contra o coronavírus.

Além disso, para evitar exposição e aglomerações, todas as viagens foram canceladas e as reuniões, que seriam presenciais, serão substituídas por videoconferência.

A empresa tem filiais em Porto Alegre, Joinville e São Paulo no Brasil.

“Mesmo não tendo nenhum caso registrado ou suspeito, tomamos essa medida para ajudar a conter a crise e evitar uma possível interrupção em nossa operação, além de nos anteciparmos a eventuais emergências e pedidos de isolamento social por parte das autoridades”, afirma a Neogrid em nota.

A Neogrid é a segunda grande empresa do setor de TI que comunicou publicamente a decisão de mandar toda a equipe fazer home office. A primeira foi a E-Core, de Porto Alegre, em uma decisão que afeta 320 funcionários.

A E-Core também tomou a medida com validade inicial de uma semana.

Ao que parece, as empresas estão usando o momento inicial da pandemia no Brasil para testar conseguem virar a chave para uma operação home office.

Nos últimos dias, a SalesForce decidiu cancelar o BaseCamp, seu maior evento no Brasil, e a ASUG optou pela mesma medida em relação a sua conferência anual. Ambos eventos estavam previstos para as próximas semanas em São Paulo.

Logo mais, elas podem ser obrigadas a fazer isso.

Os casos confirmados de coronavírus no Brasil chegaram a 98 nesta sexta-feira, informou o Ministério da Saúde em plataforma online, registrando um avanço de 22 em relação aos números da véspera.

Ao todo, o Brasil tem agora 1.485 casos suspeitos.

A doença está entrando em uma nova fase, com os primeiros casos da chamada  transmissão comunitária nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

Os casos de transmissão comunitária são aqueles em que não é possível identificar a trajetória de infecção do vírus.

Até então, o governo federal só tinha registro de casos de transmissão local, que é aquele que ocorre quando pessoas que viajaram ao exterior e foram infectadas passam o vírus para parentes e contatos próximos, possibilitando que os agentes localizem a origem da infecção.

No começo da semana, representantes do Ministério da Saúde estiveram reunidos com cinco grandes hospitais filantrópicos em Brasília.

No encontro, foi aberta a previsão de o número de casos deve começar a crescer exponencialmente no Brasil nas próximas duas semanas e meia, período depois do qual seria atingido um platô de mais oito semanas.