Adriano Vallim, novo diretor de inteligência cibernética do Grupo New Space. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Grupo New Space, que atua na gestão de serviços de crédito, RH, cartões e segurança cibernética, anunciou a contratação de Adriano Vallim como novo diretor de inteligência cibernética da companhia. 

Vallim tem se dedicado ao meio acadêmico e à Justiça nos últimos anos. Desde 2015, é professor dos cursos de pós-graduação em forense computacional e segurança e inteligência cibernética na Universidade Presbiteriana Mackenzie.

O executivo também é mediador judicial e conciliador do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), perito judicial em diversos Tribunais de Justiça (TJ) pelo Brasil e no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região.

Além disso, é perito Ad Hoc na Delegacia de Delitos Cometidos por Meios Eletrônicos (DIG/DEIC), membro da High Technology Crime Investigation Association (HTCIA) e instrutor certificado pela Cellebrite (CCI) para América Latina.

Na sua carreira em empresas, até 2015, foi PMO da GC Security, PMO de soluções digitais do Bradesco Seguros, CIO da Insight Worldwide, CIO da Image Web e diretor de TI da Ensino.Net. O profissional também já foi professor de graduação dos cursos de TI da UNIP.

No Grupo New Space, Vallim chega para liderar o time da NS Prevention, unidade de negócios da companhia especializada em inteligência e investigação cibernética.

"Trata-se de mais um grande e importante desafio em minha carreira. Venho para agregar a minha experiência junto à expertise e o renome que a empresa já tem no mercado, com o objetivo de aprimorar e ampliar o portfólio de soluções, prospectar novos clientes e continuar com o atendimento de qualidade aos que já atendemos”, afirma Vallim.

O Grupo New Space tem 30 anos de mercado, tendo começado ainda no negócio de microfilmagem de documentos bancários, para depois assumir alguns dos processos relacionados com esses documentos e o armazenamento físico dos mesmos. 

A empresa tem 3 mil funcionários e atende a 150 clientes. Do total do faturamento, 90% vem do segmento bancário.