O Banco Pine firmou contrato com a IBM Brasil para a implementação de um plano de continuidade de negócios para garantir a continuidade da atuação da empresa e reduzir os riscos e impactos de indisponibilidade.

Com lucro líquido de R$ 47 milhões no primeiro trimestre de 2012, o Pine é um banco de atacado focado no relacionamento de longo prazo com clientes.
 
São duas soluções no projeto da IBM para a instituição.

A primeira, chamada Work Area Recovery, parte de uma estratégia que inclui componentes compartilhados e promove a recuperação da área de trabalho para atender aos funcionários em uma situação de emergência.

Entre os componentes está o acionamento de recursos de TI que permitem restaurar o ambiente produtivo da companhia.

A segunda parte conta com ambiente de TI dedicado ao banco, onde as aplicações mais críticas são replicadas em solução de contingência HOT e as demais recuperadas em tempo de contingência.

Segundo Antonio Felipe Redondo de Oliveira, superintendente executivo de TI do Banco Pine, com a adoção da continuidade de negócios em um site secundário , o Banco Pine torna-se capaz de lidar com rupturas das atividades em caso de desastres ou imprevistos.

“Concluímos que era preciso aumentar o alcance da nossa ferramenta de continuidade de negócios e decidimos trabalhar com uma tecnologia que oferecesse mais conhecimento e confiança para aumentarmos nossa capacidade e agilidade”, explica Oliveira.

Em situação de interrupção do site principal, o site de contingência assume a produção.

Os ambientes de recuperação foram projetados para restaurar o funcionamento da empresa no menor período de tempo e minimizar os riscos de possíveis perdas.

O foco é ajudar a garantir a segurança dos dados, manter os funcionários responsáveis por trabalhos críticos on-line, conservar os principais processos da empresa em funcionamento e, então, quando o sistema principal estiver restaurado, migrar os dados inteiros de volta ao ambiente principal.