Cortes cairão sobre funcionários e linha de aparelhos. Foto: flickr.com/photos/tretos/

Contenção de despesas é isso aí mesmo. A Motorola Mobility, empresa comprada pelo Google no ano passado, vai receber cortes de 20% na sua força de trabalho e fechar cerca de 30% de seus escritórios ao redor do mundo, segundo informações dadas nesta segunda por um porta-voz do Google.

Os cortes realizados na Motorola resultarão no desligamento de 4 mil funcionários, eliminando inclusive 40% dos postos de vice-presidentes, embora tenha contratado novos executivos sêniores, segundo informações do jornal The New York Times.

O jornal também divulgou que a companhia diminuiria suas operações na Ásia e Índia, saindo de mercados menos lucrativos e também reduzindo sua linha de aparelhos.

"A Motorola está comprometida em ajudá-los [os funcionários] nesta difícil transição e oferecerá planos de desligamento generosos, bem como serviços de recolocação para ajudar as pessoas a encontrarem novos empregos", tentou tranquilizar o porta-voz, após soltar a bomba. Não foram divulgadas informações sobre onde ou em quais instalações o facão cairá.

MOTOROLA E ANDROID
Comprada pelo Google no ano passado, mas com a fusão completamente oficializada somente em maio deste ano, a Motorola Mobility foi adquirida para fortalecer o portfólio de patentes da gigante das buscas online e combater ataques legais ao Android.

A compra também serviu para expandir suas operações para além dos softwares, oferecendo produtos físicos (celulares, tablets) com o sistema.

A Motorola Mobility, que conta com 94 escritórios em todo o planeta, a partir de agora deve centralizar operações de pesquisa e desenvolvimento em Chicago, Sunnyvale, Califórnia e Pequim. No Brasil, a companhia tem escritório em São Paulo e um centro industrial em Jaguariúna (SP).