UOL Diveo está se reposicionando.

Marcos Peigo assumiu o cargo de COO do UOL Diveo, vago desde a saída da empresa de Marco Américo em maio de 2014.

O novo COO já estava na companhia, onde era diretor executivo. Peigo era CEO da Solvo, especialista em prestação de serviços de TI  adquirida pelo UOL em 2012.

Américo era gerente geral da Diveo quando o UOL comprou a empresa, em um negócio de R$ 693,5 milhões anunciado no final de 2010. O executivo fez carreira na companhia, começando ainda em 1999.

Junto com Américo, também saiu o diretor Corporativo de Telecomunicações, Luiz Antonio Molento de Moraes.

Os profissionais lideravam o negócio do UOL focado no mercado corporativo, formado com a aquisição da Diveo na área de hospedagem e uma série de outras compras na área de TI, das quais a maior foi a DHC, especializada em terceirização de TI, ainda em 2009.

No final de 2014, o UOL divulgou um “novo posicionamento de mercado” visando “consolidar a liderança no mercado de outsourcing de TI”.

A nota menciona a reformulação do portfólio, com a expansão dos serviços, oferta de cloud computing e outras soluções B2B. 

A empresa afirma que com o novo posicionamento quer ser uma one-stop shop, com serviços de  plataforma tecnológica, infraestrutura, telecom e serviços integrados, com o diferencial do conhecimento do mercado brasileiro e da presença de um data center local.

Na visão de executivos ouvidos pelo Baguete, o UOL Diveo enfrenta um momento complicado, no qual compete com adversários poderosos em duas frentes diferentes.

Por um lado, o mercado nacional de hospedagem corporativa se sofisticou bastante desde 2010, com a chegada de novos players como Ascenty, a capitalização por meio de fundos de outras companinhas como a Alog e a chegada em peso do bicho papão da Amazon Web Services.

No lado de TI, as aquisições em série dos últimos anos não foram consolidadas em uma oferta competitiva frente a gigantes como IBM, Tivit, HP ou Oracle, ou mesmo as ofertas de nicho de Totvs, Neoris e outros.

Nesse último ano, empresas como Microsoft, SAP, Oracle e outras anunciaram também a instalação de data centers locais.