A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre acaba de adquirir novas soluções da Pixeon. Foto: Divulgação.

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre acaba de adquirir novas soluções da Pixeon. A organização adotou o Flow Performance, módulo responsável por gerenciar e padronizar o processo de laudo; a ClickVita, plataforma de entrega de exames on-line; e o Reconhecimento de Voz, que permite transformar o laudo ditado em documento transcrito.

Há cerca de quatro anos, o hospital passou a utilizar o PACS, também da Pixeon. 

Com as três aquisições e a migração para as estações multimodalidades do PACS Aurora, a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre prevê otimizações em todos os seus processos.

A ferramenta de Reconhecimento de Voz deve melhorar o tempo e o fluxo de trabalho.

"Acreditamos que podemos atingir uma redução do período de entrega de exames de pacientes internos, que hoje é de 24h a 48h, para 12h. Para pacientes externos, que atualmente é de 72h a 96h, para 24h a 48h", explica Luciano Hoffmann, coordenador médico do Centro de Diagnóstico por Imagem da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre.

A instituição realiza em média de 25 a 30 mil exames ao mês e cerca de 20 mil destes passam em algum momento pelo processo de digitação. A instalação do Reconhecimento de Voz deve encurtar o ciclo narração, digitação e conferência, pois o sistema já transcreve o que é ditado pelo médico radiologista.

A expectativa com o uso do Flow Performance é facilitar a rotina do médico radiologista. 

"Além disso, queremos aumentar a produtividade trazendo soluções inteligentes e simples para a otimização do fluxo de trabalho", diz o coordenador.

A solução tem como objetivo melhorar o fluxo de transmissão de informações do começo do processo à entrega do laudo, trazendo gráficos de fácil leitura que apontam os principais gargalos e o andamento das atividades.

"Também temos expectativas altas com a utilização do ClickVita, pois acreditamos que conseguiremos reduzir custos com material para impressão e envio de exames, especialmente dos 30% de exames que são impressos e gravados em CDs e vão para descarte pois o paciente não compareceu à instituição para retirar", explica Hoffmann.

Com o acesso online aos exames e laudos por meio do ClickVita, a instituição busca evitar o deslocamento do paciente até o local somente para retirada. 

"Ter acesso fácil a todos os exames realizados na instituição eletronicamente é essencial, já que o profissional da saúde pode avaliar o quadro evolutivo de maneira comparativa", conta. 

Além disso, o médico solicitante poderá ter maior facilidade no momento de retorno da consulta médica, pois muitas vezes não é necessário a volta do paciente ao consultório, visto que seu exame não possui alterações.

Em 2013, A Pixeon fechou um contrato de R$ 1 milhão com a Santa Casa para expansão da solução de PACS usada pelo hospital desde 2011. No primeiro contrato, a implantação do Picture Archiving and Communication Systems (PACS) envolveu também sistemas de gestão, comunicação e processamento de imagens (PACS Aurora), impressão de laudos e exames (Pix Print, Pix Safe) e gerenciamento de laudos (Med Report).

Fundada em 1803 como uma instituição privada de caráter filantrópico, a Santa Casa possui sete hospitais. Desses, dois são hospitais gerais (um para atendimento de adultos e outro pediátrica) e outros são especializados em cardiologia, neurocirurgia, pneumologia, oncologia e transplantes. 

Desde 1961, é o hospital-escola da Universidade Federal de Ciências e Saúde de Porto Alegre (UFCSPA). 

A organização conta com quase 1,1 mil leitos (60% SUS e 40% particulares e convênios) e atende, em média, 700 mil pessoas por ano. Em seu corpo funcional atuam 6 mil funcionários e 2 mil médicos. 

A Pixeon possui atualmente 1,5 mil clientes no Brasil, tendo dobrado seu tamanho entre 2013 e 2015. A empresa possui escritórios em Florianópolis, São Bernardo do Campo e Salvador, com unidades de negócios distribuídas pelo país.