Corte acotnece porque nova Oi precisará de menos funcionários. Foto: Pexels.

A Oi lançou um plano de demissão voluntária com a meta de cortar 2 mil profissionais, o equivalente a 15% do quadro de funcionários da companhia.

De acordo com a empresa, é o primeiro grande corte desde 2016.

A medida acontece em meio a um processo de recuperação judicial e preparação para um leilão de ativos nos próximos meses. 

Os colaboradores que aderirem ao Plano de Incentivo a Saída, como o PDV é chamado pela empresa, terão direito a indenização relativa ao tempo de trabalho, extensão de benefícios como plano de saúde, plano odontológico e seguro de vida.

Segundo a Oi, ao fim da recuperação judicial, e com foco em fibra óptica, a empresa terá um novo perfil de gestão operacional, mais simplificada, com mais automação de processos e digitalização e as estruturas “horizontalizadas”.

“Esse processo resulta na evolução do modelo de negócio e naturalmente em uma necessidade de readequação de estruturas organizacionais”, diz a operadora, em nota.

Em junho, a Oi vendeu cinco data centers por R$ 425 milhões para a Piemonte Holding, dona do Elea Digital, que opera um dos maiores data centers do Brasil.

Os cinco novos data centers que poderão passar a fazer parte do conglomerado da Elea Digital estão localizados em Curitiba, Porto Alegre, São Paulo e Brasília, com duas unidades.