Cristiano Koehler, CEO do Grêmio. Foto: divulgação | Grêmio

Tamanho da fonte: -A+A

O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense está criando um fundo de investimento em direitos creditórios (FIDC) para o financiamento do futebol do clube.

Conforme matéria do Valor, o CEO do tricolor, Cristiano Koehler, revelou que a novidade está sendo estruturada e a meta fazer em breve o registro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O objetivo é começar, ainda em 2012, a captação de recursos.

A reportagem informa que a intenção é levantar cerca de R$ 50 milhões. O portfólio, no entanto, será apenas para aqueles considerados investidores qualificados, isto é, com pelo menos R$ 300 mil em aplicações financeiras, e terá aporte mínimo de R$ 1 milhão.

Segundo o executivo geral, o novo modelo ajudaria a diminuir os débitos. Atualmente, o clube assume juros de mais de 2% ao mês em sua dívida. A nova estrutura permitiria baixar o percentual pela metade, gerando uma economia estimada em até R$ 3,2 milhões por ano.

Outra vantagem, diz ele, é uma reorganização dos gastos operacionais com o alongamento do prazo médio dos vencimentos, que hoje é de seis meses e passaria para cerca de três anos.

Koehler acredita também em uma independência maior na relação com os bancos.

O Grêmio também prepara um fundo de investimento em participações (FIP) para os direitos econômicos de jogadores de futebol. O produto exigirá investimento mínimo de R$ 1 milhão.

O objetivo, neste caso, é captar entre R$ 30 milhões e R$ 40 milhões. A estruturação e gestão dos dois fundos do Grêmio ficarão a cargo da Quantitas.

Neste modelo, os valores de passe dos atletas serão alocados em uma sociedade de propósito específico (SPE) e, após isso, as ações desta companhia passarão a integrar o fundo.

Os recursos captados pelo fundo servirão para capitalizar a SPE, que buscará novos craques na base e em outros clubes.

Formado em Ciências Contábeis, pós-graduado em finanças e marketing esportivo e com MBA em gestão empresarial, Cristiano Koehler voltou ao Grêmio no início de 2011, vindo do Vasco.

Ele também assumiu o cargo de administrador executivo da Grêmio Empreendimentos, empresa que faz o acompanhamento das obras da Arena e a gestão do novo empreendimento.

NAMING RIGHTS INDEFINIDO
Com lançamento marcado para 08 de dezembro, a Arena do Grêmio ainda não tem seu naming rights definido. O clube já admitiu conversas com a SAP - em uma negociação que pode envolver a implantação de um sistema de gestão, conforme revelou o Baguete -, com o banco Industrial and Commercial Bank of China (ICBC) entre outras empresas.

Em entrevista ao Jornal do Comércio nessa segunda-feira, 12, o presidente da Arena Porto-Alegrense, Eduardo Pinto, admitiu que há conversas com diversas empresas, mas a decisão não deve ser anunciada até o final do ano pela “complexidade” da negociação.