Mãe, eu estou no Uber! Foto: .flickr.com/photos/toaireisdivine/

O Uber lançou no Brasil nesta sexta-feira, 13, o UberPet, uma versão “pet friendly” do aplicativo de táxi.

Válido inicialmente para o Rio de Janeiro e São Paulo, o serviço conecta os usuários do app com motoristas com carros preparados para receber animais. A tarifa é a mesma das versões  UberBlack ou uberX.

A empresa não deu um prazo de chegada para Brasília e Belo Horizonte, onde já atua, ou Porto Alegre, onde deve entrar no ar em dezembro.

O estímulo para os motoristas aderirem e enfrentarem o incômodo adicional parece ser um acordo da Uber com a startup carioca de produtos pet Zee.dog, que colocará capas impermeáveis nos carros, provavelmente sem custo para os motoristas.

A Zee.dog oferece ainda um desconto de 20% para os usuários para compras no seu e-commerce.

O site não é o único parceiro do novo serviço. O Uber também fechou um acordo com o DogHero, outra startup brasileira que oferece uma espécie de Airbnb para hospedagem de animais para donos em viagem.

Criada por um dos fundadores da HelloFood, a DogHero está só em São Paulo e Rio de Janeiro, mas com um aporte recente da Kaszek Ventures já está de olho em Porto Alegre, Belo Horizonte, Curitiba, Brasília, Campinas, Vitória, Florianópolis e Salvador. 

Os usuários da Uber ainda recebem um desconto de R$ 30 reais na primeira hospedagem. Hoje, a DogHero já compreende 2 mil anfitriões e pretende fechar o ano com 15 mil. 

Com o novo serviço, o Uber mostra as garras e exibe uma habilidade com criação de valor através parcerias e marketing superior aos apps de táxis existentes no Brasil e, como dizer, absolutamente alienígena ao universo do taxista médio.

A simpatia dos donos de pets, um público engajado como o assunto, como uma visita ao seu perfil do Facebook poderá provar, também vem bem para o Uber num momento em que o serviço enfrenta uma proibição no Rio de Janeiro e regulações duras em São Paulo.

Imersos numa batalha movida a dinheiro de investidores por dominar a base de usuários, a 99Taxis e a Easy Taxi tem se concentrado em competir por usuários por meio de descontos, já sejam atrelados ao meio de pagamento (redução por pagamento no app), horários (ações patrocinadas por fabricantes de bebida pós happy hour são norma) ou trajetos específicos (desconto para corrida até o aeroporto).

O Uber está criando um serviço diferenciado por perfil de usuário no seu app que não dói no próprio bolso oferecendo vantagens pagas por parceiros. É um modelo que pode ser replicado com facilidade em outros nichos (carros com cadeirinhas de bebês da Baby.com.br, quem sabe?).

Animais de estimação são um público potencial e tanto no Brasil: hoje eles já são 106,2 milhões (quase um para cada dois brasileiros). Dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação, o mercado cresce 17% ao ano desde 1995 e fechou 2013 em R$ 15,2 bilhões

Dados atualizados em junho de 2014 mostram que o Brasil é o segundo maior mercado do mundo, com 8% do faturamento global do setor, atrás dos Estados Unidos (30%). Em seguida, estão Reino Unido (7%), França (5,8%) e Alemanha (5,7%).