Claudio Martinelli, diretor-executivo da Kaspersky na América Latina. Foto: Felipe Escobar.

A Kaspersky vai inaugurar em janeiro de 2020 seu primeiro Centro de Transparência na América Latina. A instalação, que será a quarta da empresa dedicada à revisão de código, será aberta em São Paulo.

O centro faz parte da Iniciativa Global de Transparência da empresa. 

Assim como nas unidades em Zurique, Madri e Cyberjaya (Malásia), o novo centro de São Paulo proporcionará a entidades governamentais, parceiros, clientes atuais e em potencial a oportunidade de analisar o código-fonte, atualizações de software e regras de detecção de ameaças da Kaspersky.

Em todos os Centros de Transparência, a empresa oferece a oportunidade de compilar seu software a partir do código-fonte e compará-lo com aquele disponível ao público. 

Os interessados também podem solicitar a revisão das soluções e serviços da empresa, incluindo análise de ameaças, revisão segura e o processo de teste de segurança de aplicativos.

A nova instalação também provê informações sobre as práticas de engenharia e processamento de dados da Kaspersky. Na unidade será possível analisar todas as versões dos builds e atualizações dos bancos de dados da empresa, assim como as informações que a empresa processa, como os feeds de dados de seus produtos que são enviados para a Kaspersky Security Network (KSN), um sistema na nuvem que processa automaticamente dados relacionados a ameaças cibernéticas.

"Desde a inauguração do primeiro Centro de Transparência em Zurique, em 2018, a América Latina esteve entre as primeiras regiões a abraçar a Iniciativa Global de Transparência da empresa. Representantes de várias instituições governamentais latino-americanas estiveram entre os primeiros que revisaram o código da companhia e reconfirmaram sua confiança em nossas soluções", afirma Claudio Martinelli, diretor-executivo da Kaspersky na América Latina. 

O anúncio foi feito no Paris Peace Forum 2019 , a segunda edição de um evento global que a Kaspersky apoiou. No evento, a empresa informou ainda que está transferindo o processamento dos dados de clientes dos Estados Unidos e do Canadá para a Suíça. 

Ainda como parte da Iniciativa Global de Transparência Global, a companhia está adaptando sua infraestrutura de armazenamento e processamento de dados, migrando os processos centrais da Rússia para a Suíça, iniciativa que começou com os usuários europeus em 2018.