Marcos Matias, presidente da Schneider Electric, fala na inauguração do FabLab. Foto: FPF Tech.

Está aberto em Manaus o FabLab powered by EcoStruxure, laboratório aberto na FPF Tech com apoio do Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT) e a Schneider Electric Brasil. 

O objetivo do espaço é fomentar a Indústria 4.0 na região, que conta com 480 empresas no Polo Industrial de Manaus. Com a tendência de transformação digital, há demanda crescente por capacitação técnica e suporte no desenvolvimento de soluções especializadas.

O novo hub de inovação conta com um espaço de aproximadamente 180m² e oferece ferramentas e recursos com as principais tecnologias do portfólio EcoStruxure, da Schneider Electric, voltadas à Indústria 4.0, além de tecnologias próprias da FPF Tech e do INDT.

A infraestrutura do laboratório possui seis bancadas, cinco com itens para simulação e aprendizado em automação de máquinas, e uma com equipamentos para automação de processos. Todas as bancadas podem trabalhar individualmente ou conectadas em rede, formando um ambiente real de automação de uma planta.

O FabLab tem ainda integração com o laboratório de Segurança Cibernética do INDT. As soluções desenvolvidas na plataforma Schneider poderão contar com o aparato de segurança de dados, por meio de testes de validação que garantem proteção contra ataques cibernéticos.

A EcoStruxure é uma plataforma aberta, interoperável e habilitada para Internet das Coisas (IoT). O projeto FabLab powered by EcoStruxure aproveita os avanços em IoT, mobilidade, detecção, armazenamento em nuvem, análise e segurança cibernética para oferecer produtos conectados, Edge Control, aplicativos, análises e serviços.

"A criação do FabLab powered by EcoStruxure permitirá que cada vez mais profissionais da região amazônica tenham acesso aos principais conceitos e soluções que compõem o conceito de Indústria 4.0. No hub, será possível representar de forma aplicada todas as tecnologias da Manufatura Avançada, além de disseminar conhecimento no mercado local", sustenta Carlos Urbano, diretor de Industrial Automation da Schneider Electric Brasil.

O FabLab pode ser utilizado por estudantes e pelo corpo técnico da FPF Tech e do INDT, além de clientes e parceiros. Ali, acontecerão treinamentos variados, com ênfase no uso de tecnologias industriais. 

"Além de promover a alta qualificação dos profissionais, o laboratório permitirá o desenvolvimento da bioeconomia e rastreabilidade, ou seja, as mesmas tecnologias base da indústria 4.0 serão utilizadas em aplicações voltadas ao bionegócio", destaca Luís Braga, Diretor Executivo da FPF Tech.

A expectativa da FPF Tech, INDT e Schneider Electric é alcançar 100% de utilização do hub. As instituições assumiram o compromisso de manter um cronograma de interações mensais com as indústrias locais para divulgar as tecnologias embarcadas no espaço e fornecer capacitação contínua para profissionais da região.

A FPF Tech é uma Instituição de Pesquisa e Desenvolvimento, sem fins lucrativos, focada nas áreas de Automação Industrial, Tecnologias Móveis e Assistivas, Internet, Qualidade de Software e Capacitação Tecnológica.