Ana Talavera, especialista de marketing digital na inQuesti. Foto: Divulgação.

Por Ana Talavera*
Há uns dias, uma amiga me perguntou: "Ana, por que você foi demitida?”. Na mesma semana, li textos ótimos no Inquietaria e no Pulse, e como não acredito em coincidências, decidi escrever meu primeiro artigo.

Em meados de maio, recebi uma ligação via WhatsApp aos berros da minha chefe na época. Mesmo depois dela ter desligado na minha cara - e por obra do destino - consegui ouvir toda a conversa do outro lado. Em meio a um turbilhão de sentimentos, desde a ansiedade de estar em um emprego novo, conquistar a confiança da equipe e o medo de falhar na primeira semana, me posicionei à minha chefe, do quanto foi desrespeitoso o que tinha acontecido. 

Não preciso nem descrever que os dias que se passaram foram os mais caóticos possíveis.

Depois de algumas semanas, recebi um comunicado por e-mail do próprio Facebook de que havia sido desativada das contas que tinha acesso. Cinco minutos depois, o RH me chamou e, quando voltei para a minha mesa, meu notebook não estava mais lá.

O que poderia ser um sonho para uma vegetariana convicta como eu, em trabalhar no segmento de cosméticos cruelty free, a demissão foi um despertar para a minha carreira e aqui eu listo 5 aprendizados que podem te ajudar a sair da fossa profissional:

 

#1 Uma demissão não define quem você é

O fato é: nenhuma empresa dita o seu caráter. A frustração, humilhação, fracasso ou qualquer outra definição que você tiver para descrever seu processo de demissão, lembre-se que é passageiro. Saiba que não importa a empresa que te demitir, você tem muito mais valor do que uma rescisão de contrato. O pé na bunda vai te empurrar pra frente, cabe a você decidir pra onde ele vai te levar.

 

#2 Fuja de empresas que não valorizam o diálogo

Como trabalhar em um lugar onde os gestores não incentivam a conversa, não se aproximam de seus colaboradores, por fim não sabem lidar com... pessoas? É inacreditável como há empresas espalhadas por aí que não dão abertura para ouvir seus funcionários e não querem dialogar. Se você está em uma empresa assim, repense seu emprego. A longo prazo esse ambiente pode te contaminar fazendo você crer que as pessoas não são lá tão importantes para você se relacionar.

 

#3 Reconheça seus erros e comemore suas vitórias

Parece que os erros não podem ser anunciados e falar sobre eles é algo contagioso. É comum a gente compartilhar apenas os acertos, mas esquecer das pisadas de bola, nos torna um profissional incompleto. Os erros que cometi até aqui fazem parte da minha história e aprender sobre eles, pode nos ajudar a não cometer tantos assim no futuro - e a conquistar novas vitórias.  

 

#4 Foco total em você e na sua carreira

Quando uma demissão surge - inesperada ou não - parece que tudo que você conquistou até aquele dia, foi pro ralo, né? Eu me permiti sentir uma dose de tristeza, mas só por 1 dia. Fui demitida na véspera de um feriado, na segunda-feira já corri para o LinkedIn para deixar meu perfil em ordem e ficar por dentro dos cursos e eventos da área que eu poderia participar. 

 

#5 Gerir o próprio tempo é uma arte! 

Um app que eu amo de paixão hoje em dia é o Wunderlist. Ele é gratuito e você pode baixar aí no seu smartphone (tem para Android e iPhone) e desktop também, já que ele funciona via computação em nuvem. Acredite, organizar sua semana faz to-da a diferença para você se sentir produtivo e menos ocioso. Traçar metas semanais ou diárias (que é o meu caso) faz você ter uma certa rotina, sem permitir que a procrastinação tome conta de você.

 

Recado final é: apenas faça! Deixe seu travesseiro orgulhoso e durma de cabeça tranquila. Dias melhores virão.

*Ana Talavera é especialista de marketing digital na inQuesti. Este artigo foi publicado originalmente no Pulse.