Nest agora é do Google. Foto: flickr.com/photos/mcsixth.

O Google anunciou a compra da desenvolvedora de dispositivos conectados Nest. A companhia vai desembolsar US$ US$ 3,2 bilhões pela empresa, especializada em tecnologias para termostatos e alarmes de incêndio.

Com a transação, os fundadores da Nest Tony Fadell - que ganhou notoriedade por ser um dos principais engenheiros na criação do iPod e iPhone - e Matt Rogers passarão a ter cargos no Google.

O acordo é o segundo maior em valor na história da companhia de Mountain View, atrás apenas da compra da Motorola por US$ 12,5 bilhões em 2011.

Em comunicado divulgado para a imprensa, o CEO do Google Larry Page afirmou que os termostatos e sensores de fumaça conectados da Nest são grandes produtos. Segundo o site TechCrunch, a gigante das buscas tem interesse em usar estes dispositivos em suas aplicações para casas e prédios inteligentes.

“Estamos animados para trazer grandes experiências para mais casas em mais países e atender as expectativas do público", afirmou Page.

Segundo o Google, a Nest continuará sob o comando de Fadell, e os produtos da empresa continuarão a suportar outros sistemas operacionais, como os da Apple.

Para o CEO da Nest, a aquisição é fundamental para a visão da empresa em criar aplicações para casas inteligentes, desta vez em uma escala maior do que seriam capazes sozinhos.

"O Google tem recursos em escala global e em alcance de plataforma para acelerar o crescimento da Nest no hardware, software e serviços globalmente. E nossas visões de negócio estão alinhadas", afirmou Fadell.

Para o Financial Times, a compra da Nest é mais um passo do Google em se tornar uma referência na chamada "Internet das Coisas". Com os sensores da Nest, o Google agora também pode se fazer presente nos lares de seus usuários.

"É esperada uma imediata e visceral reação para os possível acesso que o Google passará a ter sobre as informações sobre quando o usuário está em casa, os quartos frequentados, e outros dados", afirmou Mattthew Panzarino, do TechCrunch.

Para apaziguar os ânimos, a Nest divulgou em seu site uma série de respostas sobre o negócio e sobre o que muda - ou permanece igual - com ele.

"Nossa política de privacidade claramente limita o uso de informações de clientes ao aperfeçoamento de produtos e serviços. Levamos privacidade a série e isso não mudará", afirmou a companhia.