Empresa vai interromper atividades em 1º de fevereiro de 2020. Foto: LDprod/Shutterstock.

A Uber anunciou que vai interromper suas operações na Colômbia a partir das 0h de 1º de fevereiro de 2020. No último dia 20 de dezembro, a Superintendência da Indústria e Comércio (SIC) do país havia decidido pela proibição do serviço.

De acordo com o site Mobile Time, a decisão da SIC foi baseada em um processo aberto pela Cotech, empresa controladora do Taxi Libres, um app local de corridas com táxi.

Na decisão, o órgão colombiano considerou que a Uber cometeu “violação de normas e desvio de clientela ao prestar irregularmente o serviço público individual de transporte”, dando ganho de causa à Cotech.

Em nota, a Uber afirmou que considera que a decisão arbitrária porque é contrária ao sistema jurídico colombiano, violando o devido processo legal e os direitos constitucionais.

A Uber afirmou, ainda, que respeita a lei e as decisões emitidas pelas autoridades e já  recorreu à decisão, fazendo uso de todos os recursos legais.

Segundo a empresa decisões como essa respondem à ausência de regulamentação do serviço de “mobilidade colaborativa por meio de plataformas tecnológicas” na Colômbia.

O Uber Eats, no entanto, não deve ser afetado pela decisão da SIC.

A Uber opera na Colômbia há seis anos e foi a primeira empresa a oferecer o tipo de serviço no país. Hoje são 2 milhões de usuários e 88 mil motoristas.

A Colômbia é o primeiro país da América a tomar uma decisão como essa.

Em 2017, a empresa encerrou temporariamente as atividades na Dinamarca por conta de mudanças na legislação do país. Hoje a Uber já opera novamente na capital do país, Copenhague.

No sudeste asiático, a Uber também deixou oito países em 2018. Desta vez, a saída foi por decisão própria, antes da empresa entrar com o pedido de IPO, feito em maio do ano passado.

A Uber opera em mais de 700 cidades em todos os continentes.