Fernando Silva, presidente do CSEC. Foto: divulgação.

A CompTIA, associação global do setor de TI, anunciou a formação do seu Conselho Empresarial de Segurança Cibernética (CSEC) no Brasil.

Com a missão de sugerir melhores práticas globais e adaptar tais estruturas de trabalho para a realidade brasileira, o CSEC reúne executivos de diversas organizações, todas ligadas a setores nos quais infraestrutura joga um papel crítico.

Entre as áreas, estão serviços bancários e financeiros, consultoria e serviços profissionais, defesa, varejo, aço e telecomunicações.

O conselho também inclui executivos de grandes provedores de serviços de segurança gerenciados do Brasil, tendo Fernando Silva como presidente.

Atual VP de estratégia e marketing da Tempest Security Intelligence, o executivo atuou por mais de 18 anos na EZ Security, onde foi presidente, além de ter sido gerente técnico para a América Latina na Symantec.

O vice-presidente do conselho é Longinus Timochenco, CISO do e-commerce Kabum.

O grupo deve se reunir trimestralmente para discutir o cenário da segurança cibernética, focando em cinco pilares: cooperação público-privada, cooperação e culturas corporativas, governança internacional, novas tecnologias e força de trabalho.

“O que precisamos a partir de agora é nos conscientizar, e investir em segurança de uma forma organizada. E é para isso que criamos o novo Conselho da CompTIA, que apoiará legisladores e empresas e será fonte de consulta sobre cibersegurança", ressalta Leonard Wadewitz, diretor de desenvolvimento de negócios da CompTIA para América do Sul e Caribe.

Fundada em 1982 nos Estados Unidos, a associação tem receita de US$ 60 milhões e mais de 10 mil membros no mundo.

A entidade concentra seus programas nas áreas de ensino, certificação, defesa e filantropia e está no Brasil há cerca de seis anos.