APPS

Ubiz Car quer ser o Uber do interior

14/02/2022 10:30

Aplicativo de transporte fundado no Piauí está de olho em cidades de até 200 mil habitantes.

Alécio Cavalcante, fundador da Ubiz Car. Foto: Divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

A Ubiz Car é uma startup que quer levar serviços de mobilidade urbana ao estilo de Uber e 99 para 250 cidades no interior do Brasil nos próximos cinco anos, apostando em um mercado pouco explorado pelas gigantes hoje.

O foco são cidades de 40 mil a 200 mil habitantes, que chegam na casa de 1.217 dos 5,5 mil municípios brasileiros.

A empresa surgiu em 2018 na cidade de Parnaíba, segunda maior cidade do Piauí, com população estimada em mais de 183 mil habitantes. 

Desde então, a Ubiz já agregou 18 cidades do país e até o final de 2022 pretende expandir para mais 20 municípios. Na rota, estão locais como Gurupi, a terceira maior cidade do Tocantins, com 87 mil habitantes; Balsas, uma cidade de quase 100 mil moradores na fronteira agrícola do Maranhão, ou ainda Ouro Branco, uma cidade mineira de menor porte, mas com algumas atrações turísticas conhecidas.

O fundador viu a chance de investir no setor de transporte logo quando a Uber chegou no país, em 2014. 

"A verdade é que pra mim foi bastante mágico, porque de fato eles criaram algo revolucionário. E a gente não tinha ideia de que isso poderia se esticar para cidades do interior", conta Alécio Cavalcante.

Hoje o Uber e a 99 atuam em mais de 500 cidades do Brasil, incluindo todas as capitais, muitas cidades médias, mas poucas de menor porte. A menor cidade no qual o Uber atua no país é Ivaiporã, no Paraná, com 31.935 habitantes.

Cavalcante acredita que o segredo para vencer as grandes empresas passa por criar uma que entenda a cultura das pequenas cidades do interior do país e converta isso em um modelo escalável.

"Toda cidade pequena ou de médio porte vai ter aquelas pessoas que já são conhecidas, que são identificadas pela cidade. Nós contactamos essas pessoas e fazemos um uma espécie de conexão entre a Ubiz Car e a cidade por meio delas. Essas pessoas são nossos embaixadores”, explica Cavalcante sobre o formato de divulgação da Ubiz Car.

Desde 2020, o app tem apostado no modelo de franquia, prometendo retorno do investimento após o 15º mês de operação.

Para abrir uma franquia, o franqueado deve ter cerca de R$ 150 a R$ 350 mil disponíveis para o investimento (o valor depende do tamanho da cidade). Os requisitos que a empresa exige do franqueado são disponibilidade de tempo, experiência com pessoas e capital disponível.

"Nós temos um custo per capita por pessoa e isso é convencido em marketing na cidade, fora a taxa única de franquia. Todo trabalho de lançamento é feito por nós e posteriormente passado o bastão pro franqueado. O investimento vai todo direcionado ao marketing que é feito em redes sociais, em outdoors, influenciadores digitais, um trabalho de equipe de campo e um trabalho de pré-lançamento, lançamento e pós-lançamento", fala Cavalcante. 

O período de divulgação da empresa em uma nova cidade dura entre 45 a 60 dias, cerca de 30 dias antes da implementação, que dura 10 dias, e 30 dias depois do lançamento. 

Atualmente, a Ubiz Car trabalha com o método de um motorista para cada 600 pessoas. De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o Brasil conta com mais de 1,4 milhão de trabalhadores de aplicativo. O número representa 31% do total no setor de transporte.

A Ubiz busca se tornar atrativa cobrando taxas menores do que a média (a empresa não abre os valores exatos) e oferecendo um seguro para os motoristas dispostos a adesivar seu carro, usar um uniforme e que tenham boas notas dos clientes.

Esse grupo tem um seguro de até R$ 1,5 mil para acidentes, guincho e borracharias.

Para atingir a meta de 250 cidades, a Ubiz vai precisar de capital, e está negociando no momento com investidores.

No ano passado, a empresa faturou R$ 1,6 milhão, registrando crescimento de 71% em comparação com 2020, quando faturou R$ 932 mil. Agora, o objetivo é dobrar de tamanho em 2022.

A Ubiz Car foi desenvolvida com a tecnologia da Machine, uma plataforma de tecnologia voltada para empresas de transporte e entregas. Inicialmente, a empresa fazia todo o processo com tecnologia própria, o que não era do domínio deles. 

"Quando nós conhecemos a Machine nós enxergamos a seguinte situação: vamos focar no que nós fazemos de melhor e vamos entregar a tecnologia pra quem sabe. Então a Machine foi escolhida pela qualidade que emite sobre o serviço deles e a estabilidade que ele nos dá de não ter que bater cabeça com uma coisa que não é da nossa experiência", comenta Cavalcante.

Veja também

MENSAGENS
Elopag: comunicação baseada em Pix

Startup cria canal de comunicação usando o serviço de transferências instantâneas.

CONTRATAÇÃO
Marcio Ramos entra para time da Novartis

Executivo já passou por empresas como Accenture, Red Bull e Eli Lilly.

EXTINÇÃO
IBM: "bebês dinossauro” eram problema

E-mails internos mostram discussão sobre idade da força de trabalho.

DADOS
“Vazamentos no Pix não são tão relevantes”

A afirmação é de Roberto Neto, presidente do Banco Central.

STARTUPS
StartSe compra CapTable

Em novembro, a empresa recebeu um aporte de R$ 75 mi do fundo Pátria Investimentos.

VIDA
99Pay: dinheiro entra, mas nunca mais sai

Cliente enfrenta um labirinto de situações paradoxais com a carteira digital.