O governo federal anunciou nesta quinta-feira, 14, que vai liberar R$ 32,9 bilhões até 2014 para fomentar planos de inovação tecnológica em todo o país.

O aporte faz parte do Plano Inova Empresa e inclui a criação da Empresa Brasileira para Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii).

Comandado pelo MCTI, o Inova Empresa terá foco nos setores de serviços, industrial e agrícola e, segundo a presidente Dilma Rousseff, deverá disponibilizar R$ 20,9 bilhões em crédito para empresas com taxa de juros subsidiadas de 2,5% a 5% ao ano, com quatro anos de carência e 12 anos para pagamento.

Os recursos serão executados pelo BNDES e Finep, mas o governo também vai disponibilizar outras linhas de financiamento para ações de P&D, o que inclui subvenção econômica para companhias, num total de R$ 1,2 bilhão.

Fomento para alianças entre instituições de pesquisa também está no foco do governo, que anunciou R$ 4,2 bilhões para a área, assim como outros R$ 2,2 bilhões para investimento em participação acionária em empresas de base tecnológica.

Conforme o MCTI, também há projeção de destinar R$ 3,5 bilhões a projetos de inovação em telecomunicações, mas ainda não há definição sobre isso, o que dependeria de conversações que vêm acontecendo junto às teles.

EMBRAPII

Só para a Empresa Brasileira para Pesquisa e Inovação Industrial, Dilma anunciou orçamento de R$ 1 bilhão até 2014, bancado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e pela CNI, entre outros parceiros.

A ideia é que a organização funcione no s moldes do que é a Embrapa para o setor agropecuário, sendo uma entidade de fomento à cooperação entre companhias nacionais, com foco nas pequenas e médias.

“A Embrapii é um catalisador entre a demanda empresarial e a oferta de serviços tecnológicos, de infraestruturas existentes”, afirmou o ministro Marco Antonio Raupp durante o anúncio dos aportes.