O Hospital Moinhos de Vento implantou o Gestor OPME, desenvolvido pela GTT Healthcare. Foto: Divulgação.

O Hospital Moinhos de Vento (HMV), de Porto Alegre, implantou uma solução tecnológica focada na logística de materiais hospitalares especiais, chamados de OPME. A instituição implantou o Gestor OPME, desenvolvido pela catarinense GTT Healthcare.

Garantindo a auditoria de 100% do estoque hospitalar em tempo real, a ferramenta faz parte do processo de modernização da gestão logística que vem sendo realizada desde abril de 2015 no HMV. 

O Gestor OPME permite que todas as informações necessárias para o controle de cada produto hospitalar sejam imputadas remotamente por meio de uma ferramenta on-line. 

Com o uso da tecnologia RFID, método de identificação automática por meio de sinais de rádio frequência, etiquetas com um chip são aplicadas em cada material hospitalar, para qe as informações de cada produto sejam recuperadas pela plataforma com acesso restrito, certificando a segurança das informações.

“O maior impacto da implantação do projeto foi a segurança para o paciente, com total rastreabilidade dos materiais. Passamos a ter o controle dos materiais consignados na instituição, o que antes era de controle do fornecedor”, explica Joana Heydrich, coordenadora de recebimento do Hospital Moinhos de Vento.

Segundo ela, todos os processos logísticos foram redesenhados para o sucesso do projeto, incluindo o recebimento, lançamento de nota fiscal, entrega dos materiais, armazenagem, utilização, devolução e controle de validade.

Fernando Monlin, diretor de operações da GTT Healthcare, diz que a decisão da diretoria do hospital se alinha com as tendências do mercado de saúde para este ano. 

“Em 2016, os investimentos na área de tecnologia serão feitos com serviços que ajudem a diminuir custos. As empresas estão comparando cases já realizados. Se as tecnologias que já estão presentes na gestão de hospitais de renome se mostraram eficientes e eficazes, como a RFID, é bem provável que elas sejam mais procuradas este ano”, relata.

No caso HMV, a redução de custos é indireta, mas é percebida devido à confirmação de todos os materiais utilizados, evitando divergências de valores entre o hospital e fornecedores.

O Moinhos de Vento tem 360 leitos, mais de 3 mil médicos cadastrados e cerca de 3,5 mil colaboradores. Em 2014, a receita bruta da instituição totalizou R$ 518 milhões, um crescimento de 21,4% em relação ao ano de 2013.