Setor farmacêutico é um dos mais preocupados com segurança. Foto: Pixabay.

A Apsen, fabricante de medicamentos sediada em São Paulo, fechou com a Intel Security uma renovação dos seus softwares de segurança da McAffe.

Foram adquiridas licenças das soluções para segurança de endpoint, contra vazamento de dados, criptografia e para segurança contra ameaças avançadas baseada em análise de comportamento, além do McAfee ePolicy Orchestrator, que possibilita o gerenciamento centralizado de todas as soluções a partir de um único console.

“Usamos as mesmas soluções por muito tempo e elas estavam atendendo nossas necessidades, mas queríamos saber se seria possível melhorar, se o que tínhamos estava causando lentidão nas máquinas, se havia algo melhor disponível no mercado”, explica Jaques dos Reis Souza, coordenador de Infraestrutura e Service Desk da Apsen.

A estrutura de TI da Apsen é composta por 80 servidores, entre físicos e virtuais, e cerca de 400 desktops.

As empresas farmacêuticas são consideradas alvos para o cibercrime, já que armazenam dados sensíveis e propriedade intelectual como fórmulas de medicamentos, estudos e pesquisas confidenciais.

A Apsen conta com cerca de 950 funcionários e fatura R$ 450 milhões. A meta da empresa é dobrar o faturamento até 2020.