Helisson Lemos. Foto: divulgação.

O MercadoLivre desembolsou cerca de R$ 50 milhões para passar a deter o controle acionário da empresa KPL Soluções, o que expande a atuação da empresa de e-commerce para o segmento de venda de software.

Com a compra, o MercadoLivre agora controla uma empresa especialista em sistemas de gestão de comércio eletrônico, que possui clientes de peso como Netshoes e Electrolux e uma carteira com um total de 300 clientes ativos.

Esta é a primeira vez que o site de vendas compra uma companhia neste segmento. A companhia teve um dos maiores lucros de sua história no ano passado, quando faturou 560 milhões de dólares em receita líquida.

O MercadoLivre também utiliza as soluções da KPL, que conforme explica o sócio-diretor da KPL, Anderson Duarte, auxiliam o site de vendas online a ter um alto nível de produtividade.

“Este investimento significa um reconhecimento da qualidade de nosso trabalho. Há mais de 10 anos no mercado, nossos softwares e serviços ajudam na gestão completa das operações de backoffice de um e-commerce e na análise de todas as informações relacionadas a BI”, afirma o executivo.

Com a adição de uma solução de gestão de e-commerce, o MercadoLivre caminha para oferecer um portfólio completo de produtos e serviços de varejo eletrônico. Atualmente o site já possui serviços de logística (MercadoEnvios), pagamento (MercadoPago), assim como o MercadoLivre publicidade e o Mercado Shop.

Os sócio-fundadores da KPL, Fabiano Silva e Anderson Duarte, continuarão a gerir a empresa de maneira independente. No curto prazo, uma das missões da KPL é desenvolver um ERP na nuvem (SaaS), para atender vendedores profissionais do MercadoLivre.

“O modelo SaaS vai ajudar a democratizar a oferta de soluções de e-commerce, será mais acessível para os vendedores profissionais e o MercadoLivre vai servir como meio de campo entre essas empresas e a KPL”,  relata o diretor geral do MercadoLivre no Brasil, Hellison Lemos.

Em seu processo de expansão, o MercadoLivre recentemente anunciou investimentos em novas áreas, além da compra da KPL. Em setembro do ano passado, a empresa selecionou três empresas para dar aportes do MercadoLibre Commerce Fund. As escolhidas foram a Intoo, 00K e AirCRM.

O fundo criado em 2013 tem o objetivo de destinar um total de US$ 10 milhões para o financiamento de startups que melhor utilizem a plataforma do MercadoLivre a partir de suas APIs (Application Programming Interface).

A seleção realizada em parceria com a Wayra, iniciativa global da Telefônica para apoio e promoção de startups, identificou projetos tecnológicos que, a partir do uso das APIs MercadoLivre, poderiam contribuir para todo o ecossistema da empresa: MercadoLivre, MercadoPago, MercadoShops, MercadoEnvios e MercadoLivre Publicidade.  

A receita líquida do MercadoLivre atingiu US$ 556,5 milhões em 2014, o que representa um crescimento de 17,8% na comparação com 2013. A quantidade de itens vendidos durante o ano foi de 101,3 milhões, um crescimento de 22% em relação ao ano anterior.