Google Glass agora à venda. Foto: divulgação.

O Google finalmente anunciou nesta terça-feira, 13, o início das vendas de seu dispositivo wearable Google Glass para o consumidor médio. Por enquanto, a oferta é válida apenas para compradores norte-americanos, que podem levar o gadget por US$ 1,5 mil.

A liberação chega cerca de um ano e meio após o início do uso do aparelho, que foi liberado inicialmente apenas para desenvolvedores e pessoas escolhidas pelo Google através do programa Glass Explorer.

Recentemente, o Google já tinha dado sinais que a abertura das vendas estava perto. No mês passado, a empresa colocou no ar em seu site uma oferta relâmpago de um dia. O produto rapidamente se esgotou na loja virtual. No entanto, conforme destaca o Financial Times, a empresa não deu o número de unidades vendidas.

"Nós aprendemos bastante quando abrimos nosso site há algumas semanas atrás, então decidimos mudar para um beta mais aberto. Ainda estamos com o programa Explorer para continuar a aperfeiçoar nosso hardware e software, mas a partir de hoje todos nos EUA podem comprar a Glass Explorer Edition, enquanto durarem os estoquees", destacou o Google em nota no seu site.

Segundo analistas, a abertura das vendas pode dar ao Google uma ideia de quanto o seu aparelho é desejado no mercado, em comparação a outros dispositivos do mesmo estilo, que tiveram dificuldades para se vender.

Alguns wearables, como o Samsung Gear e alguns de outras marcas tiveram números de venda abaixo do esperado nos últimos meses. Levando em consideração que o Glass não está em uma faixa de preço das mais acessíveis, será interessante ver o desenrolar desta história.

No entanto, caso o aparelho seja o sucesso, o Google pode abrir o sorriso. Segundo o grupo de análise e pesquisa de produtos IHS, os custos com hardware e produção do dispositivo totalizam US$ 152,47 — valor quase dez vez menor que seu preço estimado para o varejo.