Funcionários da ThoughtWorks. Foto: divulgação.

A ThoughtWorks, multinacional americana de desenvolvimento de software, está com 31 vagas abertas para o seu programa para profissionais em início de carreira. 

O atrativo principal é a participação em um treinamento imersivo de cinco semanas na Índia ou na China, onde a empresa mantém suas universidades corporativas. Ao todo, o programa dura dois anos.

As vagas são para pessoas desenvolvedoras, analistas de negócios, analistas de qualidade e designers de experiência. 

A ThoughtWorks usa o termo “pessoas” para evitar usar palavras no gênero masculino como “desenvolvedores”. 

Inclusão é a tônica da política de RH da empresa, que destaca que no ano passado 96% das vagas do programa foram preenchidas por “perfil de diversidade”, compreendido por mulheres, LGBTs, negros e candidatos em vulnerabilidade social.

As vagas estão distribuídas para os escritórios de Belo Horizonte, Porto Alegre e Recife. 

"Estamos à procura de paixão, talento, aptidão e integridade", diz Geociano Souto, Líder do  Programa Desenvolve. "Buscamos pessoas apaixonadas por tecnologia, que tenham iniciativa para o aprendizado e estejam no início da sua jornada profissional”, resume Souto.

A ThoughtWorks tem 644 funcionários no país. A previsão para este ano é que sejam contratados mais 150.

Em 2017, a ThoughtWorks foi adquirida por um grupo de fundos de investimento liderado pela Apax Partners.

Criada em 1993, a ThoughtWorks tem entre seus principais executivos Martin Fowler, um dos 17 signatários originais do Manifesto for Agile Software Development. 

A empresa é uma referência em métodos ágeis de desenvolvimento de software, com 4,5 mil pessoas espalhadas por 42 escritórios em 15 países. 

A ThoughtWorks chegou ao Brasil em 2010, abrindo uma operação no Tecnopuc, parque tecnológico da PUC-RS em Porto Alegre. Depois foram agregados São Paulo, Recife e Belo Horizonte.