Foto: flickr.com/photos/ditii

Um dos computadores mais difíceis de se consertar. Esse foi o título que o novo MacBook Pro, lançado pela Apple nessa semana, ganhou do jornal norte-americano Los Angeles Times.

Segundo a publicação avalia, o modelo é praticamente impossível de reparar.

A opinião é embasada em análise da empresa iFixit, com sede na Califórnia, especializada no conserto e na manutenção de modelos com a marca Apple.

A nota, após uma avaliação que escrutinou as entranhas do notebook, foi 1 numa escala até 10, onde quanto mais baixa a graduação, maior a dificuldade.

O Los Angeles Times resumiu as dificuldades em seis, a começar pela abertura do chassis: a Apple colocou parafusos proprietários no laptop. Além disso, a memória RAM é soldada à placa, o que impede reparos e upgrades.

No HD, a atualização também é dificultada, diz a empresa.

“E trocar a bateria do computador é praticamente impossível”, escreveram os técnicos no relatório descrito pelo jornal norte-americano. A Apple fixou com “cola” o componente.

Segundo a iFixit, o pior é que, abaixo da bateria, está o cabo do trackpad, que provavelmente será danificado caso se remova a bateria do computador.

Por último, todas os componentes do display – incluindo a própria tela, a câmera, bem como antenas de bluetooth e Wi-Fi – são integrados, “o que significa que, se falharem, você terá que substituir todo o kit”, finaliza a iFixit.