BNDES tem verbas para projetos de IoT. Foto: flickr.com/photos/palacios

O BNDES anunciou a disponibilidade de R$ 20 milhões em financiamento a fundo perdidos para iniciativas ligadas a Internet das Coisas nesta quinta-feira, 14.

Serão financiados soluções de IoT em cidades Inteligentes, saúde e ambiente rural feitas por instituições tecnológicas públicas ou privadas sem fins lucrativos, cujas propostas devem ser submetidas até o final de agosto.

O valor mínimo a ser liberado pelo BNDES é R$ 1 milhão, limitado a 50% de cada projeto. A outra metade deve ser contrapartida de quem levar o dinheiro.

O programa faz parte das medidas de impacto recomendadas pelo estudo “Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil” feito pelo BNDES em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Comunicações.

No caso de cidades, os projetos devem ter foco em redução de desperdícios, iluminação pública, aumento da capacidade de vigilância e monitoramento e aumento da atratividade de transportes públicos. 

No ambiente rural, os focos devem ser no uso eficiente de maquinário e dos recursos naturais e em segurança sanitária e bem-estar do animal. 

Já em relação a saúde, o objetivo é focar em monitoramento de pacientes; ativos e insumos; e diagnóstico descentralizado. 

Cada instituição poderá apresentar até três pilotos dentro de um mesmo plano voltado a cada um desses ambientes. 

O valor global deve ser de pelo menos R$ 2 milhões em itens financiáveis, com prazo de execução de até 24 meses. 

O grupo de avaliação das propostas será composto de empregados do BNDES e representantes externos com conhecimento dos temas dos projetos. 

Ao fim dos processos, as instituições que forem apoiadas pelo BNDES deverão obrigatoriamente publicar a avaliação dos resultados dos projetos-piloto, informando de forma detalhada os testes realizados e o desempenho observado. 

O BNDES avalia juntamente com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio o lançamento de futura chamada voltada ao ambiente industrial, contribuindo para o desenvolvimento da indústria 4.0 no país. 

O governo federal tem feito muito barulho em torno do assunto de IoT como um viabilizador da chamada Indústria 4.0, na qual sensores em maquinário e produtos combinados com softwares analíticos abrem uma série de novas possibilidades.

O secretário de Política de Informática do MCTIC, Maximiliano Martinhão, disse que o investimento em IoT será um marco para a economia brasileira, comparável ao processo de privatizações ocorrido na década de 1990.

Conversa a parte, um acontecimento recente nos últimos meses foi a decisão de não considerar a tecnologia como como um serviço de telecomunicações.

Com isso, o setor deverá ter uma carga tributária específica e não os atuais 45% pagos atualmente pelos serviços de telecomunicações.