Leandro Baptista e Guilherme Reitz, fundadores da Axado. Foto: Divulgação

A Ciashop, plataforma de e-commerce adquirida pela Totvs no final do ano passado, passou a oferecer o gateway de fretes da startup catarinense Axado aos seus 1 mil lojistas.

O recurso é parte da recém-criada loja de aplicativos da plataforma de e-commerce da Ciashop, no qual soluções no modelo white label. Já estão disponíveis recursos como lista de presentes e e-mail marketing, entre outros.

A solução da Axado permite aprimora a interpretação das tabelas de fretes negociadas com 146 transportadoras e garante precisão dos preços e prazos de entrega das mercadorias ao simplificar o cálculo deste custo. 

“O gateway de fretes permite que os lojistas criem campanhas inteligentes de fretes que aumentam a conversão de vendas por garantir precisão no cálculo. Possibilita o controle do valor exato do frete negociado com a transportadora, sem aproximações ou médias de preço", explica Guilherme Reitz, CEO do Axado. 

O acordo oferece um diferencial para a plataforma da Ciashop. Uma pesquisa recente realizada pelo Axado mostrou que das 40 principais plataformas de e-commerce do país, somente 30% estão integradas a um sistema de cálculo automatizado do valor do frete.

Desenvolvido por jovens recém-graduados de Florianópolis, o Axado não revela seu faturamento. Em agosto de 2012, a empresa informou ao Baguete que a sua meta era fechar 2014 com R$ 50 milhões.

A empresa integra o portfólio de empresas investidas do Fundo SC, fundo de investimentos em negócios inovadores nascentes de Santa Catarina.

A Ciashop é uma das pioneiras do mercado de e-commerce nacional, atuando há 13 anos. No final do ano passado a Totvs comprou 68,5% de participação por R$16,4 milhões.

Com mais de 70 funcionários e 1 mil lojas online ativas, a Ciashop possui um modelo de negocio de recorrência superior a 80% da receita total, que totalizou R$ 6,3 milhões de receita líquida em 2012.

Segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) o e-commerce no Brasil fechou o ano passado com faturamento de R$ 31,11 bilhões, uma alta de 29%, em relação a 2012.

A ascenção do mercado levou a um processo de aquisições de empresas fornecedoras de plataformas de comércio eletrônico, em um mercado bastante fragmentado. Ainda em 2011, a varejista japonesa Rakuten comprou 75% da paulista Ikeda.

Ainda assim, é um mercado fragmentado: uma lista do site E-Commerce Brasil aponta mais de 100 fornecedores, aos quais se somam novos players como a E-Smart, fundada com um aporte de R$ 10 milhões pelo ex-CEO da companhia de e-mail marketing paulista Virid.