Caixas do Sicredi.

O Sicredi usa o OnMaps, solução de inteligência geográfica da Geofusion, para ajudar a decidir onde abrir novas agências no país.

O software vem dando resultados. De acordo com números divulgados pela Geofusion, as unidades abertas com base em avaliações feitas no OnMaps tiveram um crescimento médio superior ao das demais no segundo ano de vida em 8% nas operações de crédito, 30% no crédito rural, 65% na poupança e 35% de sobra líquida.

A nota não revela exatamente desde quando o software está sendo usado ou quantas agências foram abertas usando resultados da solução como critério.

Só neste ano, o banco cooperativo projeta abrir 106 agências no país, com um investimento previsto de R$ 150 milhões. No ano passado, foram 88. Ao todo, são mais de 1,5 mil agências espalhadas por 1 mil cidades em 11 estados.

Após os estudos com o OnMaps, o Sicredi detectou oportunidades em mais de 1,6 mil cidades do Brasil. 

Contudo, não tinha conhecimento destes mercados e precisava de informações mais aprofundadas, que possibilitassem ponderar e minimizar o canibalismo entre os pontos de atendimento.

“Neste cenário, avaliamos os resultados das agências no segundo ano de vida com outras variáveis, como faixa etária da população, total de domicílios e concorrência, entre outros, para entendermos quais características realmente influenciam os resultados e, a partir daí, definimos pesos para cada um desses fatores”, explica a responsável pela área de Planejamento de Negócios do Sicredi, Michelle Azevedo. 

Desta forma, os municípios foram ganhando pontos conforme o perfil econômico e demográfico.

Na sequência, a instituição criou o Mapa da Atratividade, responsável por apontar quais eram os municípios mais promissores e quais não tinham estas características. 

As cidades com mais pontuação relevante foram avaliadas individualmente – a pesquisa considerou renda, demografia, economia e concorrência. Também foi possível analisar a localização de novas unidades e as associações presentes na região. 

“O OnMaps é uma ferramenta intuitiva. Fomos criando os mapas com facilidade e filtrando os estados e cidades até chegar no melhor local para as novas agências”, finaliza Michelle.

A Geofusion é uma empresa de inteligência geográfica de mercado com 20 anos de história e mais de 300 clientes. 

Nos últimos tempos com a oferta do OnMaps como serviço na nuvem, a companhia tem recebido uma série de aportes de capital. 

Em outubro do ano passado, foram R$ 35 milhões da DGF Investimentos e da Intel Capital. A participação de cada companhia na operação não foi revelada.

Foi a terceira rodada de investimentos da Geofusion. Em 2011, a empresa recebeu um valor do Criatec, do BNDES. Quatro anos depois, o fundo Intel Capital investiu pela primeira vez na companhia. 

A Geofusion registrou faturamento de R$ 13 milhões em 2014, uma alta de 98,96% em relação a dois anos antes. Em 2015, o crescimento da receita era projetado entre 30% e 35%. A meta da companhia é chegar a R$ 100 milhões até 2020.

Entre os 350 clientes atendidos pela Geofusion estão McDonalds, Boticário e a Coca-Cola FEMSA.