Matopiba é a nova fronteira agrícola do país. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

A Santa Efigênia, uma fazenda no oeste da Bahia com 20 mil hectares produzindo soja, milho, feijão e tabaco, adotou um sistema de gestão Business One da SAP, com projeto da Liberali, parceira da multinacional alemã especializada em agronegócio.

O novo ERP foi implementado no contexto dos planos da empresa de triplicar a área agrícola com irrigação nos próximos três anos, alcançando um pouco mais da metade da área total do empreendimento.

“É um projeto que envolve muito planejamento, então todas as operações necessitam estar funcionando de maneira bem redonda”, explica Karina Pucci, sócia-diretora da Santa Efigênia. “Queríamos informações confiáveis da propriedade em tempo real”, agrega a empresária.

A Santa Efigênia fica em Jaborandi, um município de 8 mil habitantes a quase mil quilômetros de Salvador, no coração da região conhecida como Matopiba, a nova fronteira agrícola que fica na divisa dos estados de Maranhão, Tocantins, Bahia e Piauí.

No total, a região tem 73 milhões de hectares, sendo 35 milhões de terras cultiváveis, um regime de chuvas favoráveis e proximidade com grandes portos para escoar a produção.

Luis Eduardo Magalhães, cidade baiana que é a capital informal da região, saltou de 18 mil para 85 mil habitantes entre 2000 e 2020, e chega hoje a um PIB anual de R$ 4 bilhões.  

Só as lojas de máquinas e equipamentos agrícolas movimentam mais de R$ 1 bilhão por ano.

O mundo do agronegócio é o chão da Liberali, que foi fundada em 2001 em Cuiabá, outra cidade referência da agricultura brasileira.

A empresa conta com 65 funcionários, alocados no Brasil, Santiago do Chile e Assunção no Paraguai, atendendo 160 clientes, incluindo nomes como Grupo Ouro Verde, Baú Agro, Alfa Citrus e Major Nutrição Animal.