Cláudio Grando.

Tamanho da fonte: -A+A

A catarinense Audaces, especializada em software e hardware para o segmento de confecções, acaba de abrir uma nova unidade na Argentina, mercado onde tem mais de 500 clientes e para o qual exporta desde 1998, com presença física desde 2010.

Com investimento em torno de US$ 100 mil, o novo escritório expande as instalações da companhia no país para além do comercial, com equipe técnica e estrutura de capacitação, e incrementa uma estratégia de internacionalização que este ano também teve o reforço da abertura de uma operação no Peru e antes, em 2011, na Colômbia.

Os aportes feitos nos demais países não são divulgados, mas o presidente da Audaces, Cláudio Grando, afirma que todos são bem motivados.

“Hoje, cerca de 30% de nosso faturamento vem das vendas para o exterior”, comenta o executivo, sem revelar a receita da empresa.

O percentual é o mesmo que a companhia projeta crescer ao ano no mercado internacional.

A abertura de novas operações próprias em outros países não é descartada, embora não haja planos divulgados, por hora.

Em especial sobre a Argentina, Grando ressalta que o investimento na ampliação da presença se baseia em dois pilares: o ataque ao mercado potencial, formado por empresas do setor de moda espalhadas principalmente por Buenos Aires, onde ficam as unidades da companhia, mas sem deixar de lado as regiões de Córdoba, Rosário, Mar del Plata e outras, e a importância do atendimento próximo a um país política e economicamente instável.

“As idas e vindas do mercado argentino, com as mudanças políticas dos últimos anos, as restrições a importações e outras variáveis, fazem com que seja necessário um atendimento local”, comenta o executivo.

Aproximação que a Audaces reforça com parcerias junto a diversas universidades do país, às quais oferece suas soluções para uso em cursos de moda, o que ajuda não apenas na formação de mão de obra especializada, como também cria mercado para os produtos.

O portfólio da empresa reúne bem mais que software para gestão de fábricas de confecções.

A oferta inclui desde soluções para que estilistas criem suas coleções, passando pelo planejamento de produção, com cálculo de uso de tecido e outros recursos, modelagem, até um robô de corte automático.

“Tudo é desenvolvido e fabricado em Santa Catarina”, orgulha-se Grando.

No Brasil, além da sede em Florianópolis, há filiais em Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Caruaru.

No total, a companhia atende a 8,5 mil clientes, incluindo nomes como Renner, Cavalera, Rede Globo e Valisere, e a carteira se expande por meio de uma estrutura de distribuição encabeçada por 20 parceiros e capacidade de exportação para mais de 60 países

SAI DAQUI
A postura expansiva da empresa catarinense é embasada nas crenças de seu presidente, que mantém um discurso forte de incentivo à internacionalização.

“O Brasil tem muitas companhias com grande potencial para exportar, mas o mercado interno grande acaba, muitas vezes, acomodando as empresas, que se contentam em vender por aqui. Temos que enfrentar os desafios da exportação e mostrar nossa tecnologia no exterior”, salienta o executivo.

Firme neste propósito, a Audaces já integrou missões e projetos de apoio à exportação de entidades como Abimaq e Abiti, todos ligados às iniciativas de exteriorização da Apex Brasil.