Portomídia vem aí. Foto: divulgação.

O Porto Digital, parque tecnológico de Recife, investiu R$ 24 milhões na constituição do Portomídia, projeto dedicado à chamada economia criativa.

O espaço atuará na área de multimídia, jogos digitais, cine-vídeo-animação, design, fotografia e música.

Do total da verba investida, R$ 8,8 milhões partiram do BNDES, R$ 3,8 milhões da Finep e R$ 11,3 milhões do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação juntamente com a Secretaria de Ciência e Tecnologia do Governo do Estado.

Parte das verbas do Ministério – R$ 7,8 milhões – vieram através de um edital de fomento da indústria criativa que tem como estados pilotos o Pernambuco e o Rio Grande do Sul.

Os R$ 7,7 milhões do edital voltado para o Rio Grande do Sul ainda não foram alocados. Eles devem ser destinados a uma universidade com um parque tecnológico interessada em criar um laboratório com recursos para uso compartilhado por empresas do setor.

Um dos possíveis candidatos é a Feevale, que nesta terça-feira, 13, anunciou o lançamento do primeiro curso de mestrado em indústria criativa – um termo sinônimo de economia criativa – e está selecionando empresas do segmento para uma incubadora.

A outra é a PUC-RS que montou no Tecnopuc em Viamão uma operação chamada Tecna, focada em vídeo, animação e jogos. Já foram instalados no local alguns laboratórios da Famecos, faculdade de comunicação da PUC-RS, a um custo de R$ 300 mil.