Distrito Federal firma projeto com Cisco. Foto: divulgação.

O Distrito Federal anunciou um investimento de R$ 22 milhões em um projeto para garantir conectividade Wi-Fi gratuita em espaços públicos para até 30 mil habitantes simultaneamente, usando soluções da Cisco.

O projeto, que tem o nome Sinal Livre, inclui soluções completas de wireless outdoor metro ethernet e segurança da Cisco e contou com o apoio técnico e operacional da empresa, amparado por um consórcio formado por quatro companhias – entre elas MTel Tecnologia, integradora Cisco para o setor público.

Até o momento foram investidos R$ 18 milhões do valor total da licitação. O lançamento do serviço ao público ocorreu no dia 23 de junho de 2014, após cerca de quatro meses de instalação da infraestrutura.

Entre os serviços adicionais previstos está a proposta de monitoramento de tráfego e de coleta de lixo em tempo real; além da informatização de estacionamentos públicos.

O Sinal Livre foi desenvolvido para atender a área central do Distrito Federal, tendo o Eixo Monumental e Asas Sul e Norte como pontos principais, além de cada uma das 31 regiões administrativas.

No total serão 220 pontos de acesso espalhados por todo o Distrito Federal, dimensionados conforme o tráfego urbano e em atendimento aos pontos com maior fluxo de pessoas.

Na área central, por exemplo, onde está situado o Estádio Nacional Mané Garrincha, há 96 instalações. Na rodoviária são outras 54, enquanto o Centro de Convenções Ulysses Guimarães conta com seis. Existem instalações também no Planetário de Brasília e no Parque da Cidade. Por fim, cada região administrativa deverá receber, em média, cinco áreas de cobertura.

A GDFNet, rede de fibra ótica da Secretaria do Estado de Planejamento e Orçamento (Seplan), foi utilizada para amparar o projeto, o que dispensou pesados investimentos em infraestrutura para transmissão de dados.

“Ao utilizar a rede para melhorar a administração pública e os serviços aos cidadãos, o Sinal Livre é muito mais do que simplesmente prover Internet para a população. Trata-se de uma estratégia ambiciosa e um importante marco no país quando se fala em projetos de cidade inteligente”, destaca Rodrigo Dienstmann, presidente da Cisco do Brasil.

A Mtel Tecnologia, integradora Cisco, construiu uma rede MetroEthernet, data center composto por switches core em redundância, solução de segurança com firewall, IPS, autenticação de usuários, filtro de conteúdo web e uma plataforma de gerenciamento centralizada, capazes de suportar o serviço.

"Tudo isso é um primeiro passo num objetivo maior de prover uma cidade moderna e, quem sabe, a primeira ‘cidade inteligente (Smart City)’ do Brasil”, avaliou Mauricio Blanco, presidente da MTel.

O roll-out para as regiões administrativas teve início em setembro com os site-surveys já realizados em todas as estações do metrô e em alguns pontos de Ceilândia.