O mercado de serviços em nuvem pública deve alcançar US$ 208,6 bi em 2016. Foto: Pexels.

O Gartner afirma que o mercado mundial de serviços em nuvem pública deverá alcançar US$ 208,6 bilhões em 2016, um aumento de 17,2% em comparação com os US$ 178 bilhões gastos em 2015. 

O maior crescimento virá dos serviços de infraestrutura de sistemas em nuvem (IaaS), que devem aumentar 42,8% em 2016. Os serviços de aplicações em cloud (SaaS), um dos maiores segmentos no mercado global de serviços em nuvem, crescerão 21,7% em 2016, totalizando US$ 38,9 bilhões.

“O crescimento da adoção da nuvem pública tem como base o fato de que as organizações estão economizando 14% de seus orçamentos como resultado dessa utilização. Entretanto, a aspiração de usar serviços em nuvem supera a adoção real. Não há dúvidas de que essa grande vontade exista, mas ainda existem desafios para as empresas conforme elas seguem nesse caminho”, explica Sid Nag, Diretor de Pesquisas do Gartner.

A modernização da TI é atualmente o principal condutor da adoção da nuvem pública, seguido pela economia de custos, inovação, agilidade e outros benefícios. 

O foco na modernização da TI indica um uso mais sofisticado e estratégico dos serviços em nuvem pública, que estão sendo adotados não somente para reconhecer os benefícios táticos de economia de custos e inovação, mas também para estabelecer um ambiente de TI mais moderno que pode servir como fundação para futuras aplicações e processos de negócios digitais.

As preocupações com segurança e privacidade continuam a ser os principais inibidores para a adoção da nuvem pública.

“A posição do Gartner referente à segurança em cloud tem sido clara: os serviços em nuvem pública oferecidos pelos principais provedores são seguros. O verdadeiro desafio da segurança é utilizar esses serviços de uma melhor forma. É preciso mais educação para ajudar as organizações a superarem o mito associado às preocupações com segurança”, afirma Ed Anderson, Vice-Presidente de Pesquisas do Gartner.

Grande parte das organizações já utiliza uma combinação de serviços em nuvem de diferentes provedores. Enquanto a adoção da nuvem pública aumenta, é esperado que o uso dos serviços em nuvem privada e dos hospedados em nuvem privada também cresça, pelo menos em 2017. 

O aumento da contratação de variados provedores de nuvem pública e o crescimento de diversos tipos de serviços em nuvem privada criarão um ambiente de múltiplas nuvens na maioria das empresas e impulsionará a necessidade de coordenar esse uso com cenários híbridos.

Embora os cenários de nuvens híbridas devam dominar, há muitos desafios que impedem trabalhar com suas implementações. As organizações que não estão planejando usar nuvens híbridas indicam uma série de preocupações, incluindo desafios de integração e incompatibilidade com aplicações, além da falta de ferramentas de gerenciamento, de Interfaces de Programas de Aplicativos (APIs) em comum e de suporte do fornecedor.

“É evidente que, no caso de nuvem híbrida, essas preocupações também revelam algumas das principais oportunidades para os provedores de serviços. Sabemos que as iniciativas em cloud pública continuarão a crescer e que os de nuvem privada de diversos tipos serão mais amplamente utilizados. Portanto, os provedores devem focar nos principais desafios para atender com sucesso à crescente demanda por soluções de nuvens híbridas”, completa Anderson.