Amos Genish foi demitido da Telecom Itália na terça-feira, 13. Foto: Divulgação.

Amos Genish foi demitido do cargo de presidente da Telecom Itália na terça-feira, 13, após a divulgação de um desempenho insatisfatório no terceiro trimestre.

De acordo com o TeleTime, a pressão interna no conselho de administração da Telecom Italia ficou insustentável e culminou no afastamento do executivo.

Em comunicado, a companhia afirma que a maioria da diretoria votou por revogar, com efeito imediato, todos os poderes conferidos ao executivo.

A controladora italiana da TIM Brasil será comandada de forma interina pelo chairman Fulvio Conti até uma nova reunião no dia 18/11 para decidir o novo CEO. 

No terceiro trimestre, um efeito contábil de € 2 bilhões deixou a empresa com prejuízo de € 0,8 bilhão no período.

Ainda é cedo para determinar o impacto da saída do executivo da italiana na subsidiária TIM Brasil. O fundo Elliot já havia manifestado a preferência pela consolidação no mercado brasileiro, na época com a Oi como maior candidata. Mais recentemente, o conselho de administração da Telecom Italia anunciou que prepara uma proposta para adquirir a Nextel, agora que a Anatel aumentou o limite de espectro sub-1 GHz e sub-3 GHz. 

As frequências de 1.800 MHz e 2,1 GHz em 3G e 4G (além de 800 MHz ainda com outorga em serviço móvel especializado) são consideradas os principais ativos da Nextel, além da base de clientes.

Antes de assumir a Telecom Italia em setembro de 2017, Amos Genish atuou como diretor-executivo de conteúdo na Vivendi. O executivo israelense veio de uma temporada no Brasil, onde presidiu a GVT até sua incorporação pela Telefônica/Vivo. Genish passou a presidir também a Vivo, liderando a operadora brasileira até 2016.