A UniSociesc adotou três soluções da Bravi. Foto: Divulgação.

A UniSociesc, universidade catarinense com aproximadamente 25 mil alunos, adotou três soluções da Bravi para implementar um programa de retenção e reduzir a evasão de alunos.

O projeto foi realizado entre o segundo semestre de 2015 e o primeiro de 2016. As soluções utilizadas foram o Prisma, software de análise preditiva; o Conecta, aplicativo de disseminação de conteúdos; e o Feedback, aplicativo para coleta de opiniões e sentimentos.

A iniciativa explorou estratégias baseadas em dados coletados dos alunos e automatizou o processo de entendimento da situação dos alunos em risco de abandono dos estudos, ampliando os resultados.

“A partir do momento que tu tens uma ferramenta que ajuda a sistematizar as ações e que ajuda a resumir o trabalho da equipe junto com uma determinada turma ou aluno, tu crias um ambiente positivo para pensar na retenção, e mudas a maneira como o professor, coordenador ou gestor olha para o aluno” afirma Carlos Borsa, vice-reitor da UniSociesc.

O público alvo do projeto foram os 760 calouros do primeiro semestre de 2016 da modalidade presencial.

Antes, na primeira fase do projeto, os cientistas de dados da Bravi criaram um modelo preditivo exclusivo para a UniSociesc, que foi posteriormente implementado através do software de análise preditiva Prisma.

“Na maioria das ações e ferramentas, tu pegas o aluno assim que ele já tomou a decisão de evadir. Queríamos pegar os sinais iniciais, e o modelo preditivo, quando bem ajustado, tem esse potencial. Assim conseguimos observar ganhos não somente na retenção, mas no fato de poder avisar o aluno que ele vai ter alguma dificuldade no futuro,” completa Borsa.

Assim que os primeiros alunos em risco foram detectados pelo Prisma, a equipe da Bravi auxiliou a UniSociesc na criação de um plano de ações de retenção com o uso dos aplicativos

O Prisma provou uma precisão de 74% nas indicações de alunos em risco, reveladas para os gestores com 31 dias de tempo hábil para que ações de retenção fossem trabalhadas.

Ao final do projeto, a UniSociesc conseguiu diminuir em 4,5% o número de evasões de alunos em relação ao registrado no ano anterior. 

A rede UniSociesc tem atuação no ensino fundamental e médio, técnico, fundamental e médio bilíngue, técnico, graduação, extensão e pós-graduação lato sensu e stricto sensu. 

A instituição possui unidades em Joinville, Blumenau, São Bento do Sul, Balneário Camboriú e Florianópolis, em Santa Catarina; e Curitiba, no Paraná. 

Hoje o Prisma é utilizado por sete universidades do grupo Anima Educação, realizando predições de risco para aproximadamente 100 mil alunos.

Com sede em Florianópolis, a Bravi abriu no ano passado a unidade Bravi Analytics no Tecnopuc, em Porto Alegre. No escritório gaúcho, atua a unidade de data science da Bravi