Semicondutores em baixa. Foto: Shutterstock.

O Gartner publicou esta semana um relatório apontando que os investimentos mundiais em semicondutores devem diminuir 4,7% em 2016, atingindo US$ 59,4 bilhões. Esse número indica uma diminuição de 3,3% em relação ao crescimento previsto no trimestre anterior.

Segundo a consultoria, as perspectivas para 2016 no mercado de equipamentos de fabricação de semicondutores trazem uma expectativa preocupante para a demanda de eletrônicos para usuários finais e o ambiente econômico mundial.

"As políticas de investimento de capital dos maiores vendedores de semicondutores permaneceram cautelosas em um contexto de baixa demanda eletrônica", afirmou David Christensen, Analista Sênior de Pesquisas do Gartner.

No entanto, segundo Christensen, as perspectivas de longo prazo mostram um retorno ao crescimento. Depois de 2016, o mercado deverá se tornar mais positivo, com previsão de crescimento relativamente forte até 2018.

O estudo pode representar más notícias para o Brasil, que recentemente viu um aquecimento de sua indústria neste segmento, com a chegada de diversas fabricantes. Exemplos são a HT Micron, join-venture do grupo gaúcho Parit Participações a sul-coreana Hana Micron, e a Unitec, inaugurada no ano passado em Ribeirão das Neves (MG), com um investimento de R$ 1 bilhão.

Além disso, o governo anunciou no ano passado programas de fomento para a criação de centros de design de semicondutores em todo o país pelo programa federal CI Brasil, assegurando mão de obra especializada ao setor. Já são 500 especialistas em projetar chips.