O HCor fica em São Paulo. Foto: divulgação.

O HCor, hospital paulistano especializado em cardiologia, adotou a solução da Dr. TIS para utilizar a telemedicina no tratamento de crianças com cardiopatia congênita pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Logo que as regras de distanciamento social foram determinadas, no início da pandemia, a instituição implantou a plataforma e o serviço começou a operar em um mês. 

"Agimos rápido para ampliar o acesso dos pacientes ao serviço de consultas virtuais. Lidamos com pacientes que fazem acompanhamento contínuo e, embora sejam de grupo de alto risco, não podem abandonar o tratamento mesmo com isolamento social”, explica Kevin Kim, coordenador médico de ensino e inovação do HCor.

Com a ferramenta, a equipe de cardiopediatria da instituição passou a atender de forma remota crianças com problemas congênitos, de diversas regiões do país, que seriam encaminhados para realizar as cirurgias no hospital.

De acordo com o HCor, a implantação das teleconsultas traz agilidade e precisão no acompanhamento dos pacientes, com atualizações da condição clínica e a avaliação do médico que a acompanha em sua cidade. 

As interconsultas nessa área médica são realizadas desde 2009 no hospital, mas ganharam força com a regulamentação do serviço de telemedicina durante a pandemia. 

“Com essas informações, nossa equipe consegue passar todas as orientações para que essa criança chegue ao nosso hospital seguindo todos os protocolos, em condições adequadas para se tratar", explica Patrícia Elias, cardiologista do HCor.

Além das consultas pré-cirúrgicas, em alguns casos, pode ser realizado o acompanhamento desse paciente após o procedimento. 

A plataforma é customizada com a logomarca da instituição e possui funcionalidades adaptadas aos serviços que são prestados. Através dela, é possível enviar pedidos de exame, atestados médicos e receitas assinadas eletronicamente com certificação digital. 

O atendimento fica registrado em um prontuário eletrônico armazenado na nuvem, que permite acompanhar a evolução do paciente, além de trocar exames de imagens em alta resolução.

Segundo a empresa, as informações trocadas entre médicos e pacientes dentro da ferramenta são criptografadas de ponta a ponta de acordo com as normas da LGPD e somente pessoas autorizadas conseguem acessá-las.

"A Dr. TIS conseguiu nos atender na velocidade que precisávamos, com um processo de implementação muito eficiente. Além disso, a plataforma une facilidade de acesso via internet — não precisa baixar aplicativo — com segurança de dados armazenados na nuvem", destaca Kim. 

Cerca de 30 mil crianças nascem anualmente no Brasil com cardiopatias congênitas que podem aparecer entre a gestação e a fase adulta. O HCor conta com área exclusiva e profissionais especializados nesses tratamentos há 37 anos.

Criada em 2016, a Dr. TIS tem quase sete mil profissionais cadastrados. Entre março e dezembro de 2020, a empresa viu o número de contratos saltar de 50 para mais de 140, elevando o faturamento em 500%.

Entre os clientes da plataforma, estão instituições como Hospital Moinhos de Vento, CCG, Real Hospital Português de Beneficência (PE), Rede de Reabilitação Lucy Montoro, Instituto de Responsabilidade Social do Sírio Libanês, Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Santa Casa de Curitiba e Hospital Santa Catarina.