Bradesco quer levar modernidade para casa dos clientes. Foto: flickr.com/photos/markgregory

O Bradesco vai testar o uso da biometria para transações pelo internet banking. A tecnologia será utilizada inicialmente pelo portfólio de pessoa jurídica, cuja a base é de 730 mil clientes.

Conforme matéria da ComputerWorld, o banco está desenvolvendo um dispositivo com a fabricante japonesa Fujitsu para identificar os correntistas.

O leitor está sendo criado para ser usado separadamente do computador pelos clientes como acontece hoje com os tokens.
 
Na reportagem, Maurício Minas, diretor executivo do Bradesco, informa que a adoção da biometria para transações online exige uma logística para envio dos leitores aos clientes e a ideia é oferecer algo mais leve e pequeno, bem diferente dos leitores vermelhos dos ATMs.

A expectativa é de incorporar ainda este ano essa tecnologia ao internet banking empresas. Depois, o mecanismo será estendido para um grupo “seleto” de pessoa física.

Atualmente, 13 milhões dos 27 milhões de correntistas já são reconhecidos pela identificação das veias da palma da mão. O processo de cadastramento das veias da palma da mão é feito na abertura de contas.

Adotada desde 2007, a tecnologia de biometria também dispensa o uso do cartão de débito para saque nos terminais.

O Bradesco também diz ter sido o primeiro banco nacional a lançar tecnologia com um serviço de banking no Facebook, permitindo a consulta de saldos e pagamentos pela rede social.

Além disso, em agosto passado, o banco inaugurou no shopping JK Iguatemi, em São Paulo, o Bradesco Next, um banco com tecnologias experimentais de atendimento, como robôs e terminais interativos touch, prevendo como seria o banco do futuro.