Luis Carlos Nacif. Foto: divulgação.

A Microcity, empresa brasileira de outsourcing de serviços para TI, divulgou seus resultados em 2015, em que alcançou uma receita de R$ 100 milhões, subindo apenas R$ 1 milhão em relação ao faturamento do ano anterior.

A empresa estacionou sua receita na faixa dos R$ 100 milhões desde 2013, quando teve um faturamento de R$ 101 milhões, caindo para R$ 99 milhões no ano seguinte.

Para a Microcity, o resultado é positivo, visto o cenário econômico vivido pelo país no ano passado. Entretanto, a empresa ficou abaixo da estimativa de crescimento prevista pelo IDC para o mercado de TI nacional, que foi de 5%.

Segundo a companhia, o foco da empresa durante 2015 foi na reestruturação de sua estratégia de negócios, sem o objetivo principal de aumentar o faturamento, mas sim investir no aperfeiçoamento da sua oferta.

Para Luis Carlos Nacif, diretor presidente da Microcity, a instabilidade econômica impulsionou divisões como a de outsourcing de ativos e serviços, como soluções de cloud privada em parceria com marcas como Oracle.

"Em tempos de crise, as companhias buscam ainda mais concentrar sua atuação no core business e, neste momento, poder delegar a infraestrutura de TI a fornecedores especializados", avalia o executivo.

Além disso, a Microcity tornou-se parceira CSP (Cloud Solution Provider), da Microsoft, passando a oferecer suas soluções em nuvem pública.

Outra novidade em 2015 foi o lançamento da plataforma de serviços Gestão Unificada Microcity (GU), que realiza o monitoramento, gerenciamento e administração do ambiente de TI dos clientes, em nuvem pública e/ou privada.

"A oferta foi desenvolvida para atender as crescentes demandas do mercado para serviços de gestão de infra e principalmente, dos serviços relacionados ao negócio, que hoje dependem profundamente de tecnologia", afirmou a companhia em nota.

Segundo Nacif, em paralelo aos investimentos realizados em Serviços, a Microcity concentrou sua atuação em ampliar seus projetos na base instalada, oferecendo aos clientes mais opções do portfólio.

"Para apoiar nossos clientes que estavam em final de contrato, oferecemos uma série de vantagens para prorrogação dos mesmos. Essa inciativa além de reduzir o custo do cliente foi responsável por 20% dos resultados de vendas”, explica Nacif.

Na parte de verticais, a companhia citou a representatividade das vendas para o setor de varejo, que representou cerca de 40% do total em vendas da empresa no ano. Entre as empresas que passaram a fazer parte da carteira Microcity estão a rede varejista de farmácias Pague Menos.

Desses novos clientes, muitos são do Norte e Nordeste do país, onde a Microcity mantém uma filial em Fortaleza (CE), que é responsável por toda a atuação da companhia nessas regiões.

"Temos explorado muito o potencial de negócios dessas regiões, que são carentes de parceiros que possam oferecer uma oferta completa para atender às suas demandas de negócios", afirmou Nacif.

Com mais de 30 anos de atuação e cerca de 350 funcionários, a Microcity fornece Infraestrutura de TI como serviço para médias e grandes empresas, com uma base instalada de mais de 200 mil ativos em todo o território nacional. Em seu portfólio a empresa tem marcas como Microsoft, HPE, Oracle, CA, VMWare, Cisco e outros.