Nova sede da Meta no Recanto Maestro.

O Grupo Meta inaugurou neste sábado, 13, um centro de excelência em tecnologia da SAP na localidade de Restinga Seca, município na região de Santa Maria, cidade no centro do Rio Grande do Sul distante 290 km da capital.

Foram investidos R$ 5 milhões na operação – R$ 3,5 milhões em um prédio de quatro andares e o restante em equipamento, links e contratações – que no momento tem 20 empregados, número que deve crescer para 50 até o final do ano.

A capacidade total do prédio é de 350 pessoas e a Meta já pensa em ampliar suas operações locais, com a construção de um novo prédio para 500 pessoas.

Hoje a Meta tem sedes em São Leopoldo, Rio Grande, Curitiba, São Paulo, Barueri, Rio de Janeiro e Salvador, totalizando 1,5 mil colaboradores atendendo a mais de 300 clientes ativos.

A expectativa da companhia é que outras empresas sigam o exemplo, formando no local um novo polo de tecnologia no Rio Grande do Sul.

“Nós na Meta vivemos o nascimento do pólo de informática de São Leopoldo, junto com empresas como a SKA e a Altus. Acredito que o mesmo vá acontecer aqui”, prevê Telmo Costa, presidente da Meta.

Para a empresa, a vantagem de investir em uma locação fora dos grandes centros é o acesso a um cenário de menos rotatividade na mão de obra – apesar de concentrar universidades, inclusive a federal UFSM, a região de Santa Maria não oferece muitos empregos na área de TI.

O futuro polo de tecnologia deve ser articular em torno de empresas como a Meta e a Antonio Meneghetti Faculdade (AMF), instituição de ensino superior fundada há cinco anos e situada a pouco mais de cem metros da nova sede.

Hoje, a AMF conta com cerca de 200 alunos matriculados em cursos de graduação Análises de Sistemas, Direito e Administração. A instituição já mantém uma incubadora de empresas de TI e uma residência estudantil para 120 estudantes.

Outros 200 estão matriculados em MBAs na área de gestão que já são oferecidos em São Paulo também. Os cursos da graduação tem nota 4 na avaliação do Ministério da Educação, que pontua até 5. Novas ofertas de graduação e elevação ao grau de centro universitário estão nos planos de médio prazo.

Todos os cursos adotam um modelo de formação voltado para a formação de líderes baseado no trabalho do filósofo italiano Antonio Meneghetti - a chamada metodologia de ensino ontopsicológica da qual a AMF é a única representante no Brasil.

Entre os apoiadores da instituição estão  lideranças empresariais como o fundador da Calçados Beira Rio, Roberto Argenta, o presidente do grupo Puras, Hermes Gazzola e Wesley Lacerda, um dos fundadores da Meta.

A AMF, a sede da Meta ficam no chamado Recanto Maestro, um distrito com cerca de 400 hectares localizado entre as cidades de São José do Polênise e Restinga Seca fundado pelo próprio Meneghetti e hoje residência de cerca de 150 pessoas, um hotel voltado para eventos corporativos e 20 empresas de setores variados.

A administração da AMF não revela números, mas hoje o curso de Análise em Sistemas é o menos procurado – nada diferente do cenário nacional, onde o número de alunos tem caído ao longo dos últimos anos – mas a Meta já tem planos para estimular a procura do que deve ser sua principal fonte de novos colaboradores para a operação local.

Durante a inauguração do novo centro, foi assinado um convênio com a prefeitura da cidade vizinha de São João do Polêsine para reforçar o ensino de matemática na rede de ensino por meio da introdução de atividades relacionadas à robótica.

A ideia é ampliar a iniciativa para os nove municípios vizinhos que compõe a região de imigração italiana conhecida como Quarta Colônia, onde residem 60 mil pessoas. Os melhores alunos serão escolhidos para um programa de reforço de inglês e aulas de programação na AMF.

“Muitos jovens saem do interior por pura falta de oportunidades de trabalharem aqui e permanecerem com suas famílias. Queremos introduzir um aspecto novo na economia da região”, analisa Costa, de novo lembrando do exemplo de São Leopoldo, onde hoje a TI é parte importante da economia local.

O esforço de formação não se limitará ao ensino básico. A Meta mantém também um programa de formação de lideranças internas com o qual pretende que em um futuro próximo começar a preencher posições de gerência dentro da organização.

A companhia não revela seu faturamento, apenas que a média de crescimento nos últimos anos tem ficado em 25% e que o objetivo para os próximos oito anos é multiplicar o mesmo dez vezes.

* Maurício Renner viajou ao Recanto Maestro à convite do Grupo Meta.