Modelo BYOD implantado no FNDE. Foto: flickr.com/photos/dellphotos.

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) acaba de instalar uma rede wireless de alto desempenho, projetada no modelo traga seu próprio dispositivo (BYOD, na sigla em inglês). 

A infraestrutura tem como base a tecnologia da AirTight, empresa global de segurança wireless, e foi implementada com apoio da integradora brasileira NorthWare Tecnologia.

A nova rede é uma das maiores dessa categoria no âmbito do Governo brasileiro e tem capacidade para até 4,5 mil acessos simultâneos, sejam eles provenientes de tablets, notebooks ou smartphones externos à rede e pertencentes a pessoas que visitam a sede e o anexo do FNDE, em Brasília.

Para garantir acesso à rede pública e aos conteúdos de interesse social sem colocar em risco o ambiente de TI, a NorthWare recomendou ao FNDE a instalação de 122 pontos de acesso da AirTight, que são gerenciados por duas controladoras SpectraGuard Enterprise da mesa fabricante. 

Com esta tecnologia, o FNDE consegue assegurar à rede BYOD o enquadramento dos dispositivos visitantes em um esquema de segurança estipulado pela equipe de TI do órgão. 

Sem comprometer o desempenho da rede, já que milhares de acessos simultâneos podem acontecer em momentos de pico, o SpectraGuard identifica cada equipamento móvel presente no seu perímetro, seja ele um dispositivo autorizado, visitante ou externo.

Com isto, o sistema se torna apto a fazer a detecção e bloqueio automático de qualquer dispositivo que demonstre ameaça de intrusão, bloqueando aparelhos de forma proativa.

A rede é usada também para oferecer conexão aos participantes de eventos como seminários e apresentações técnicas.  A estrutura está apta a suportar a aplicação de VoIP no ambiente wireless, permitindo ligações sem tarifas entre celulares.

Na visão de Fernando Neves, presidente da AirTight Brasil, as grandes redes sem fio que aceitam acessos de dispositivos estranhos estão se multiplicando, não só em repartições públicas, mas também em locais como shoppings, aeroportos, estádios e lanchonetes. 

"O problema é que este processo vem acontecendo de forma muito rápida, sem que os gestores tenham tempo de implementar cuidados como os adotados no FNDE, o que coloca em risco as próprias empresas hospedeiras e seus milhares de usuários", comenta Neves.

Diariamente, o prédio do fundo nacional é frequentado por parlamentares, prefeitos e administradores públicos da área de educação. Eles buscam informações de bancos de dados e formulários interativos, relacionados aos programas de fomento à educação.