Henrique Fernandez, gerente geral de Segurança Eletrônica da Intelbras.

A Intelbras quer entrar no mercado high-end de circuito fechado de televisão (CFTV), mirando um patamar de clientes até então não visado pela companhia catarinense. 

O movimento vem a partir da assinatura uma parceria tecnológica com a canadense Genetec, que criou uma versão do seu software Security Center exclusivamente para a Intelbras. 

A solução permite que os hardwares produzidos pela Intelbras tenham integração nativa com o software da Genetec.

O software, batizado de Security Center Intelbras Edition, integra diferentes sistemas de CFTV, baseados em ambiente analógico e IP e, a partir de agora, passa a fazer parte dos equipamentos de CFTV da Intelbras (câmeras e DVRs).

“Em termos de software, podemos competir com empresas como Digifort e Milestone, enquanto no hardware os exemplos são Axis e Bosch”, relata Henrique Fernandez, gerente geral de Segurança Eletrônica da Intelbras.

Segundo ele, considerando a área de hardware, a empresa pode ter vantagem em razão dos preços que oferece no Brasil.

“Acredito que um projeto que custe R$ 200 mil em câmeras da Intebras possa chegar a R$ 1 milhão com câmeras Bosch”, exemplifica Fernandez.

O Security Center Intelbras Edition promove acesso direto às gravações alocadas nos equipamentos Intelbras e oferece instalação fácil (plug and play) dos equipamentos. Outro recurso, o edgerecording, faz com que o armazenamento das imagens seja descentralizado e resulte em economia na infraestrutura de servidores e storage, por exemplo.

Assim, a Intelbras quer atingir clientes do ramo petrolífero, com foco na Petrobras, grandes bancos, aeroportos e do governo, como as forças armadas.

“A parceria com a Intelbras deve permitir aos clientes com sistemas analógicos que se beneficiem de vantagens de um software mais sofisticado, facilitando a integração com outros sistemas. Isso irá facilitar o compartilhamento dos mercados privados com os órgãos públicos”, afirma João Paulo de Sousa, diretor de Vendas da Genetec do Brasil.

Com o novo sistema, a expectativa de Fernandez é que o segmento tenha um crescimento de 15% a 20% em 2015.

Além da parceria com a Genetec, a Intelbras investiu em melhorias na área de controle de alarmes, incêndio e de acesso.

Apesar do acordo de desenvolvimento conjunto de soluções, Genetec e Intelbras continuarão seus negócios de maneira independente. Assim, a Genetec seguirá integrando os demais fabricantes de equipamentos de videomonitoramento e controle de acesso.