Doug Fischer. Foto: divulgação

A Intel reforçou sua atuação junto aos desenvolvedores de software brasileiros.

A multinacional contratou nove profissionais, quadruplicando a equipe focada em interagir com desenvolvedores em comunidades focadas em Android, servidores, na nova linha de processadores Vpro e em ultrabooks.

Criada em 2008, a comunidade de desenvolvedores Intel tem 917 membros no Brasil, responsável pela criação de 180 aplicações.

O conteúdo dos vários portais do Intel Software Network, com informações sobre tecnologia, assim como o site do Intel Software Partner Program foram traduzidos para o português.

“Também queremos nos aproximar das universidades e colaborar na elaboração dos currículos”, aponta Doug Fischer, gerente geral da divisão de Software e Sistemas do Grupo de Software e Serviços da Intel.

Em todo o mundo, a Intel tem parcerias com 2,8 mil universidades, atingindo 300 mil estutantes. A meta é estabelecer acordos do tipo no Brasil, mas a Intel não revela metas.

Um indicativo de onde pode estar o interesse da multinacional é o acordo assinado nesta terça-feira, 15, durante o Intel Developers Forum com o departamento de Engenharia da Unicamp, a Politécnica da USP e o departamento de Ciência da Computação da UFMG.

Cada uma receberá 20 sistemas embarcados com processadores Intel Atom, além de ferramentas como sensores, chips de RFID e softwares de criptografia e segurança da informação.

* Maurício Renner cobre o Intel Developers Fórum em São Paulo a convite da Intel