A Austrália está considerando uma mudança radical no sistema de imigração. Foto: ChameleonsEye/Shutterstock.

O governo da Austrália está considerando uma mudança radical no sistema de imigração, que pode permitir que os estrangeiros mais ricos comprem a sua entrada no país.

O órgão consultivo independente do governo, a Comissão de Produtividade, está estudando uma proposta que faria dos encargos de subscrição a "base primária para seleção de migrantes".

Isto significa que os migrantes seriam escolhidos com base em quanto eles podem pagar, ao invés de levar em conta principalmente suas habilidades de trabalho ou conexões familiares na Austrália, segundo o News.com.au.

Hoje, o programa de migração do país emite visto de residência permanente para imigrantes com habilidades específicas; com família na Austrália; ou que atendam a critérios de elegibilidade especiais.

Para a mudança, a Comissão de Produtividade sugere algumas propostas, incluindo uma loteria de imigração ou a criação de um sistema de pagamento de uma taxa de entrada. 

A loteria pode oferecer uma cota anual de vistos permanentes - como acontece nos EUA, por exemplo. A taxa para a entrada no país, de acordo com a mídia australiana, pode ser fixada em 50 mil dólares australianos (cerca de R$ 110 mil).

O novo modelo está em processo de estudo, e só haverá uma definição sobre o assunto no final de março de 2016.

A proposta seria uma forma de ajudar o governo no déficit orçamental, trazendo bilhões de dólares em receita extra e permitindo o corte do número de funcionários públicos que administram o sistema de imigração da Austrália.

Além disso, por conta da incapacidade de muitos imigrantes de pagar a taxa adiantada, poderia ser considerada a criação de um programa de empréstimo ou desconto no salário.

As empresas que necessitam de migrantes qualificados também poderiam pagar a taxa ou o governo poderia renunciar à taxa para as profissões específicas. 

O processo têm alarmado grupos empresariais e sindicatos, que reclamam da falta de atenção aos profissionais qualificados na política de imigração da Austrália. Grupos comunitários também se opõem ao movimento, que impede imigrantes mais pobres de entrar no país.

Para os profissionais de TIC, o modelo atual de escolher candidatos com base em habilidades é favoráravel, pois as áreas são consideradas preferenciais para o governo.

No país, segundo a Australian Computer Society, o salário de um engenheiro de software pode variar de US$ 79 mil a US$ 122 mil. Os valores para analista de negócios de TIC, analista de sistemas e engenheiro de redes e sistemas também tem média similar.

Segundo o MyCareer, site de empregos australiano, a média geral para salários de funções de TIC fica em US$ 96 mil ao ano.

A população da Austrália, de acordo com dados de 2012, é de aproximadamente 22,7 milhões de pessoas. De acordo com o Censo 2011, mais de 14 mil australianos declararam ter nascido no Brasil. O número aumentou 93,6% em relação ao Censo de 2006.