O Lyft e o bigode rosa. Foto: divulgação.

Carl Icahn, investidor bilionário e referência do mercado global de ações, anunciou que fará um aporte de US$ 100 milhões no Lyft, serviço de carros em evidência nos Estados Unidos e que promete concorrer com o Uber.

Icahn, que investiu em gigantes atuais como Apple, Netflix, entre outros, afirmou que serviços de carona compartilhada devem se tornar uma "parte fundamental da infraestrutura de transporte" no futuro. A informação é do Wall Street Journal.

O comentário e o investimento de Icahn ajudaram a alavancar o valor de mercado do Lyft para US$ 2,5 bilhões.Enquanto isso, o mais utilizado Uber já está com seu valor de mercado na casa dos US$ 40 bilhões.

“Se você olhar para a forma que o mercado avalia o Uber e depois ver a avaliação do Lyft, consegue notar que o Lyft é uma tremenda barganha", disparou Icahn em entrevista ao WSJ.

Além disso, o investidor não enxerga o Lyft como um concorrente agressivo em relação ao Uber. Para ele, o desenvolvimento deste tipo de aplicação deve crescer bastante, o que com certeza vai gerar competição.

"Há espaço para dois (serviços)", comentou Icahn. "O aumento da urbanização nos próximo 5 a 10 anos ajudarão a estas comapnhias e serviços a manterem seu crescimento", completou.

Além do dinheiro de Icahn, o Lyft recebeu recentemente US$ 530 milhões em uma rodada liderada pela gigante japonesa de e-commerce Rakuten.

Famoso pela marca de um bigode rosa nos carros que oferecem o serviços, o app opera em 65 cidades norte-americanas, bem abaixo das 250 cidades em que o Uber tem presença no mundo.

Um dos diferenciais do Lyft em relação ao seu concorrente mais rico é o uso inteligente do serviço para caronas compartilhadas, casando usuários com rotas semelhantes. O recurso serviu inclusive para a empresa ganhar share em relação ao Uber em cidades como San Francisco.

Outro detalhe curioso do Lyft é que o próprio CEO da empresa, John Zimmer, complementa sua renda de executivo ao dar carona para usuários do aplicativo.

"Esses dias eu dei carona para uma pessoa e ganhei US$ 20 no meu caminho para o trabalho. Cada dólar conta", afirmou Zimmer em uma palestra no South by Southwest em março.