Eduardo Nistal.

Eduardo Nistal, ex-gestor comercial da ERPFlex, acaba de assumir o cargo de CEO da Toccato, empresa de Florianópolis que é um dos maiores distribuidores da multinacional de software de análise de dados Qlik no Brasil.

O executivo participou da ERPFlex por sete anos, desde quase o começo das operações da provedora de software de gestão na nuvem fundada por Ernesto Haberkorn, empresário de TI conhecido pelo seu papel na criação da Totvs.

Nistal, aliás, tem uma passagem de uma década na Totvs, entre 1998 e 2008, durante a qual foi líder da fábrica de software da empresa.

O profissional também é presidente da Assespro-SP, Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação de São Paulo.

O novo CEO substitui Leonardo Farah, que saiu da empresa no começo do ano para assumir o cargo de chief operating officer para América Latina na Keyrus, multinacional francesa que vem investindo no seu negócio Qlik no Brasil.

Farah entrou na Toccato em 2014 e desde 2016 era o CEO. A Toccato foi fundada em 2006 por Simoni Oliani. 

“A Toccato segue em constante crescimento. Vejo que todas essas mudanças surgem em um contexto positivo para nós, com um cenário cheio de expectativas para o futuro”, afirma Oliani.

Nistal destaca que sua estratégia inicial na Toccato está direcionada à atuação com o mercado de pequenas e médias empresas. “

Meu desafio como CEO é a democratização do BI, porque hoje o BI ainda é visto como uma solução para grandes empresas, e nós queremos quebrar esse paradigma através dos modelos de serviços Inteligentes somados a nossa capilaridade com a rede de parceiros”

A Toccato tem hoje com mais de 850 clientes e mais de 60 colaboradores, além de uma rede de 80 parceiros.

Os números colocam a Toccato um pouco à frente das paulistas Nórdica e Inteligência de Negócios, outras duas empresas, que, junto com os catarinenses, até uma década atrás dominavam o negócio Qlik no Brasil.

De alguns anos para cá, no entanto, a Qlik vem reforçando sua presença direta com a contratação de mais executivos locais e algumas novas parcerias com companhias de porte maior, como a própria Keyrus.