Adriana Viali, head de Oi Soluções.

A Oi entrou no mercado de terceirização de infraestrutura, com o o Oi Informática uma oferta de aluguel mensal de notebooks e desktops com instalação e suporte técnico aos clientes corporativos.

A oferta inclui a entrega, a instalação com as configurações desejadas, além do atendimento help desk para a realização de reparos nos equipamentos ou no sistema operacional, seja in loco, no espaço físico do cliente, ou remotamente, via telefone ou internet. 

“Estamos trabalhando incansavelmente para agir rápido e auxiliar nossos clientes nesse momento de transformação disponibilizando um novo modelo de locação de equipamentos”, afirma Adriana Viali, head de Oi Soluções.

O mercado no qual a Oi está entrando não é novo, nem mesmo para operadoras de telecomunicações. A Vivo já um serviço similar desde 2014.

Também existem players especialistas no assunto como a Microcity, que gerencia 200 mil ativos distribuídos em todo o território nacional.

Mas com os desafios enfrentados nesse momento de pandemia pelas empresas, o mercado de aluguel de equipamentos recebeu um grande boom.

Empresas como call centers, por exemplo, mandaram milhares de funcionários trabalhar em casa, muitas vezes com notebooks alugados ou comprados no último minuto.

A Oi perdeu a grande corrida inicial entre março e abril, mas à medida em que o chamado “novo normal” vai se instalado e empresas começam a falar em home office até o final do ano e mesmo além disso, uma oportunidade de negócios desponta.

A Oi tem forças próprias que podem ajudar a superar o fato de ter entrado tarde no mercado, entre elas uma grande carteira de clientes, com 57 mil nomes em todo o país, e uma força comercial de 1,5 mil executivos focados só corporativo.