Francisco Razzolini, diretor de tecnologia industrial, inovação, sustentabilidade e projetos da Klabin. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Klabin, produtora e exportadora brasileira de papéis para embalagens, vai fazer parte do IPT Open Experience, programa realizado pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), ligado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) do estado de São Paulo.

Por meio da participação, a companhia espera ampliar seu contato com o IPT, assim como com startups, empresas, investidores, governo, centros de pesquisa e universidades parceiras da iniciativa.

A primeira ação em conjunto será a construção de um centro de inteligência artificial, que terá como foco o aumento da produtividade da indústria brasileira e incluirá o envolvimento de startups.

Seu objetivo será equipar o setor produtivo nacional com ferramentas avançadas, desenvolvendo e disponibilizando aplicações de IA que concorrerão para a implantação e consolidação da Indústria 4.0 no país.

O centro deve contar com recursos financeiros da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e de outras seis empresas, entre elas a Klabin.

Segundo a Klabin, esse é mais um passo importante na sua estratégia de open innovation, conceito que está relacionado com a inovação colaborativa entre indústrias, governos, instituições de pesquisa e outros.

"A inovação é um direcionador importante para a evolução dos nossos negócios e está presente em toda a nossa história. Estamos muito satisfeitos em integrar o hub do IPT Open Experience, um ecossistema formado por importantes players tecnológicos”, afirma Francisco Razzolini, diretor de tecnologia industrial, inovação, sustentabilidade e projetos da Klabin.

Com uma equipe de pesquisadores formada por mestres e doutores, a empresa já possui cinco rotas de Pesquisa & Desenvolvimento: desenvolvimento da base florestal, desenvolvimento de celulose, linha de papéis, novas tecnologias de base florestal e redução de impactos ambientais.

Fundada em 1899, a Klabin conta com 19 mil colaboradores em 18 unidades industriais no Brasil e uma na Argentina, atendendo segmentos como alimentação, higiene e limpeza.

A companhia é a única produtora de celulose fluff no Brasil, insumo utilizado na produção de fraldas descartáveis infantis e geriátricas. Só no país, a empresa é responsável pelo abastecimento de 50% deste mercado.

Localizado dentro do campus da USP, o IPT é um dos maiores centros de pesquisa e tecnologia dos país, com 34 laboratórios em 122 mil m² em área construída com equipamentos e estruturas de pesquisa acessíveis aos integrantes do IPT Open Experience.

O programa abriu o campus para empresas de todos os portes e quaisquer setores econômicos instalarem seus próprios centros de inovação ou participarem de hubs envolvendo startups, clientes, fornecedores, universidades, centros de pesquisa, investidores, pesquisadores e órgãos de governo no mesmo ambiente.

O IPT é presidido por Jefferson de Oliveira Gomes, professor do ITA desde 2004 que já passou por instituições como SENAI e Renault. Já o IPT Open Experience é dirigido por  Alessandro Rizzato, ex-Solvay e Instituto de Pesquisas Eldorado.