Incêndio de grandes proporções destruiu o prédio. Foto: Rodrigo Ziebell / GVG/Divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

O 190, número de telefone que concentra o atendimento de todas as emergências no Rio Grande do Sul, ficou fora do ar por cerca de 4h nesta noite desta quarta-feira, 14.

A causa foi um grande incêndio, que afetou todo o prédio da Secretaria de Segurança Pública do estado, causando inclusive o desabamento parcial da estrutura.

O fogo começou ao redor das 22h, só vindo a ser totalmente debelado às 5h da manhã do dia seguinte, em uma mobilização de todos os bombeiros da capital e reforços de cidades ao redor.

A central do 190 foi transferida para o 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM), voltando a funcionar às 2h.

A transferência foi feita pelo Departamento de Informática da Brigada, que viabilizou posições de atendimento centralizadas para todos os telefones de emergência de  todos os órgãos vinculados.

O prédio incendiado concentra diversos órgãos relativos à segurança pública gaúcha, como o  comando da Brigada Militar, a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), o Instituto-Geral de Perícias (IGP) e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Também funcionava ali toda a central telefônica da Polícia Civil. 

Ainda na noite de ontem, o secretário da segurança e vice-governador, Ranolfo Vieira Jr., afirmou que nenhuma prova documental foi perdida e que a prioridade da área era restabelecer os serviços de atendimento do 190.

Ainda não surgiram detalhes sobre os planos de contingência para o 190 para que se possa fazer uma avaliação se uma queda de 4h estava prevista nos planos para um incidente extremo.

O tempo que indisponibilidade é significativo, porque o 190 não é um 0800 qualquer. Desde 2018, o número concentra o atendimento de emergência da Brigada Militar, Polícia Civil, Batalhão Rodoviário e Corpo de Bombeiros. Só ficaram de fora as ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Na ocasião, o projeto foi apresentado como uma forma de economizar recursos e facilitar o uso da população, seguindo o padrão dos Estados Unidos, do Canadá e da União Europeia, que possuem número unificado.